A contagem regressiva para mais uma edição do Femusc (Festival de Música de Santa Catarina) já começou.

Em pouco mais de dois meses, Jaraguá do Sul vivenciará, pelo 15° ano consecutivo, o maior festival-escola de música da América Latina.

Ele garante não só a alunos de 21 países, mas também ao público de todo o Brasil, a oportunidade de ver e ouvir alguns dos mais renomados instrumentistas do mundo, juntos, no palco do Centro Cultural Scar.

Com uma programação intensa e variada em concertos diários, a iniciativa ainda abrirá um espaço a mais à arte brasileira.

Pela primeira vez na história do Femusc, o Programa de Música Erudita terá a companhia do Programa de Música Popular, deixando a experiência oferecida pelo evento ainda mais completa.

Na agenda diária de apresentações, o festival vai conduzir a plateia por uma verdadeira viagem pela história da música.

Do lado popular, ele passeia pelas obras de nomes como Pixinguinha, Tom Jobim, Dorival Caymmi, João Bosco e muitos outros artistas contemporâneos.

Já do lado erudito, serão mostradas ao público, além de duas óperas e centenas de outros concertos, noites temáticas que passam pelo romantismo e pelo repertório de Mozart, Brahms, Bach.

Para completar, a parceria entre duas das principais instituições artísticas presentes em Santa Catarina, o Instituto Femusc e a Escola de Teatro Bolshoi, resultará em uma apresentação única de O Quebra Nozes, da Tchaikovsky.

Outro momento que promete emocionar os espectadores é a execução do Concerto para Oboé e Pequena Orquestra.

O espetáculo relembrará um dos momentos mais importantes da música erudita no país: o único prêmio Grammy do segmento concedido a um instrumentista brasileiro.

Ele pertence ao diretor-artístico do festival, Alex Klein, na época, integrante da Chicago Symphony, dos Estados Unidos. No Femusc, o oboísta estará ao lado da Orquestra Sinfônica do festival, sob a regência de Gregory Carreño.

Ingressos

Para assistir a tudo isso, a plateia terá a chance de garantir ingressos gratuitos distribuídos dois dias antes de cada concerto ou, ainda, adquiri-los antecipadamente pela internet.

Esta é outra novidade do evento, que passa a contar com parte das entradas comercializadas a R$ 30 e R$ 20.

A ideia, conforme o diretor-executivo, Fenísio Pires Junior, é oportunizar ao público em geral, incluindo interessados de outras cidades, além de Jaraguá do Sul e região, o acesso às apresentações e também confirmar a continuidade do festival, buscando a sustentabilidade financeira.

 

Com informações da assessoria de imprensa

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger