Durante a vida, Marisa Kaufmann (in memorian) adorava uma boa conversa, principalmente se ela envolvia histórias peculiares dos jaraguaenses. Professora, artista plástica e gestora cultural da Unerj - atual Católica de Santa Catarina -, Marisa reuniu textos baseados em registros orais coletados durante a execução do projeto "Jaraguá e suas memórias".

São 37 narrativas selecionadas dentre 96 testemunhos que formam o livro "Histórias que me contaram". A obra será lançada nesta quarta-feira (19), a partir das 20h, no Bloco Cultural do Sesc, celebrando a vida e a obra de Marisa, falecida em 2013 com 64 anos.

Os textos têm alguns nomes, locais e datas alteradas pela autora para preservar a identidade dos envolvidos. O objetivo do livro é enriquecer a história da cidade, resgatando fatos que ocorreram numa outra Jaraguá: distante, pitoresca e interiorana.

Marisa passa por uma série de bairros e lugares emblemáticos, muitos deles hoje extintos, como o Bar Catarinense. Ela mapeia costumes e cenas, até então, nunca imaginados pela maioria das pessoas que aqui vivem.

Para a filha da escritora, Sheila Kaufmann, este é um momento muito emocionante para toda a família. "Minha mãe estava muito mal e mesmo assim juntava materiais para terminar o livro, ela queria finalizar, era um sonho dela", comenta.

Marisa conta histórias de uma Jaraguá antiga e mais pequena por meio de registros orais | Foto: Divulgação

Segundo Sheila, Marisa adorava conversar com pessoas mais velhas e escutar as histórias que tinham para lhe contar. O livro foi contemplado pelo Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura e terá distribuição gratuita aos presentes no lançamento.

"Meu pai não vai ir porque só de lembrar da mãe já chora, mas eu estarei lá. Foi difícil mas conseguimos publicar, estamos felizes", destaca a filha.

Após uma série de tentativas de publicação, a Design Produções conseguiu contemplar o projeto do livro no edital para prestar as devidas homenagens à autora.

Um pouco mais sobre Marisa

Marisa se formou em estudos sociais, especializou-se em educação escolar e em conservação e preservação do patrimônio cultural.

Foi professora do Centro Universitário de Jaraguá do Sul (Unerj) e coordenou o setor de cultura da instituição durante mais de uma década.

Nasceu em Brusque, mas era jaraguaense de coração e viveu mais de 40 anos na cidade. Ela foi casada com Ivo Kaufmann, teve três filhas e dois netos.

A autora também estudou pintura em tela, em tecido, em madeira, cerâmica e escultura. Como artista plástica, apresentou trabalhos na exposição de Pintura e Artes Plásticas (1974), no 3º Salão de Artes Plásticas de Jaraguá do Sul (1986).

Ela também se apresentou nos três Leilões de Arte de Jaraguá do Sul (1986 e 1987), na Coletiva de Primavera (1988) e na exposição Jaraguá do Sul nos 500 Anos do Brasil (2000), quando foi  premiada com a obra “Jaraguá Outrora, Ontem e Amanhã”.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?