O nome do joinvilense Tufi Michreff Neto será oficializado nesta quarta-feira (18) como o novo secretário de Turismo, Cultura e Esporte de Santa Catarina. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Pinho Moreira na segunda. Tufi tem laços estreitos com o catarinense Vinícius Lummertz, recém-empossado como ministro do Turismo. Antes, Lummertz era presidente da Embratur e já foi secretário de Turismo, Esporte e Cultura e Cultura, entre outros cargos públicos. Pós-graduado em economia e gestão, com foco em planejamento, orçamento e gestão pública, pela Fundação Getúlio Vargas e bacharel em administração pela Faculdade Estácio de Sá de São José, Tufi Michreff Neto foi diretor de administração e finanças da Embratur de 2012 a 2017. Foi também diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Urbanização (Conurb) de Joinville de 2009 a 2011. De 2005 a 2009, ele ocupou cargos no Departamento de Transportes e Terminais da Secretaria de Estado da Infraestrutura. Lá foi gerente de administração e recursos humanos, diretor administrativo e financeiro, gerente de administração, finanças e contabilidade e, por fim, diretor de transportes. Em conversa por telefone com Orelhada, Tufi Michreff Neto disse que as credencias um tanto ao largo da cultura não devem gerar desconfiança na classe cultural. - Me sinto preparado para este desafio. Não vejo problema em entender as questões da área – garante o novo secretário, que já fez teatro e tinha aproximação com a Ajote quando foi presidente da Conurb. Segundo Tufi, uma de suas características é ouvir as demandas das entidades. Assim, garante que estreitará relações com o Conselho Estadual de Cultura e fará da Fundação Catarinense de Cultura uma espécie de “braço direito”. Com relação a Joinville, propriamente, dois assuntos já chegaram a sua mesa e que ele dará prosseguimento: a reforma do Museu Nacional de Imigração e Colonização e a recuperação de uma área de sambaqui no bairro Boa Vista. Junto com o anúncio, o governador e o novo secretário confirmaram a contrapartida do Estado para o Prêmio Catarinense de Cinema 2018, no valor de R$ 3,5 milhões. O prêmio é um dos principais mecanismos de fomento à produção cinematográfica e audiovisual. A edição de 2018 projeta um investimento de mais de R$ 8,4 milhões, para 23 produções – orçamento garantido no fim do ano passado pelo ex-presidente da Fundação Catarinense de Cultura Rodolfo Pinto da Luz. É o maior valor a ser pago ao longo de toda a história da premiação. O lançamento do edital deve acontecer nesta semana ou na próxima, aproveitando a presença do ministro Lummertz em Florianópolis. Com informações da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) Foto: Julio Cavalheiro (Secom)