Se você sai clicando tudo o que vê, certamente já experimentou fotografar algo na altura do chão. O objetivo? Buscar um ângulo distinto, uma outra perspectiva, quem sabe um olhar que revele algo que de cima seja invisível.

Foi justamente o que fez o arquiteto e artista visual Pedro Holderbaum. A questão é ele dedicou uma série inteira a imagens desta perspectiva (cerca de 60) e as transformou numa nova exposição.

Rés do Chão” inaugura nesta quinta-feira (24), às 19h30, e fica até 23 de junho na galeria da Associação Jaraguaense de Artistas Plásticos (Ajap). É a primeira exposição no ano do gaúcho radicado em Joinville e outra dele cujas imagens emulam uma série de significados.

E uma delas tem, sem dúvida, dimensões biológicas, no sentido de traduzir a inserção do ser humano no planeta e seu relacionamento com outros seres, reverberando ao mesmo tempo desprezo, humildade e sentimentos de poder.

“O  nome Rés do Chão vem do fato de que todas as imagens foram obtidas com a máquina colocada ao nível do solo. Isto para mim é uma tomada de consciência do ínfimo tamanho que temos cada um de nós. tenho então um olhar da humildade para esta incrível dádiva que é a natureza e o quanto não olhamos mais para ela. Todos ligados em aparelhos eletrônicos e cada vez mais ausentes”, reitera Pedro.