Os rostos pintados, a peruca e o macacão coloridos substituíram o uniforme escolar na quinta-feira (15) na Escola Municipal Kismara Lislei Walkinir Moreira e no Jardim de Infância Chapeuzinho Vermelho, em Schroeder. Saíram as camisas e bermudas e entraram a vestimenta que lembra o circo. Isso porque foi neste dia que o Projeto Circo na Escola foi apresentado aos alunos, pais, professores e a representantes da secretaria de educação do município.

O trabalho, que já estava sendo desenvolvido pelos professores junto aos alunos, tem como objetivo trabalhar a criatividade apresentando culturas e projetos diversos fomentando o desenvolvimento da educação, conta o professor Alexandre Oliveira. “Eu acredito que deve haver esse resgate de todas as culturas possíveis”, diz.

Utilizando a temática do circo, os professores buscaram oferecer elementos e figuras para alimentar o interesse e curiosidade das crianças. De acordo com o projeto, a partir deste interesse, curiosidade e criatividade é possível aprofundar e melhorar a didática para melhorar os conhecimentos em disciplinas básicas, como as da fase escolar.

Além disso, para o professor, a utilização de temáticas diferenciadas que inevitavelmente despertam o interesse por ser “o diferente” faz com que alunos e professores possam ir além no que diz respeito a uma educação mais completa, fugindo do básico no conteúdo e na forma. “Nós temos o costume de usar essas temáticas diferenciadas, circo, horta, projeto afro, temos isso na nossa essência, trabalhar com temas diferentes e isso acaba sendo bem aceito pelas crianças. Essas temáticas levam a algo além do ‘normal’, daquela coisa básica e é muito bem aceito pelas crianças. Então, eu vejo que todos os projetos que desenvolvemos eles aceitam porque podem fugir do ‘comum’ e isso tem sido muito gratificante tanto pra eles quanto para nós”, avalia.

Com o objetivo de incentivar e propiciar a socialização e interação entre os alunos promovido por um trabalho multidisciplinar, o projeto busca também desenvolver a coordenação motora ampla, aumentar o vocabulário, trabalhar a linguagem oral e corporal e despertar o talento artístico dos alunos. Para Oliveira, o trabalho baseado na temática do circo já abre, por si só, um leque de situações e vivências culturais que podem ser trabalhadas com os alunos promovendo todos os objetivos do projeto. Além disso, ele destaca a leveza da temática como ponto de interesse das crianças. “Trabalhar o tema circo é muito fácil e divertido. Uma das frases que eu tenho costume de falar é que a educação se faz com alegria e quer algo mais alegre do que o circo?”, comenta.

O professor ressalta ainda que, desde o início, o objetivo é trabalhar o imaginário das crianças, proporcionando assim, mais abertura para conhecer novas culturas e com isso maximizar o processo de aprendizagem. “Desde o princípio, o objetivo em si foi trazer essas vivências, trabalhar o imaginário da criança, trazer ela para dentro do mundo do circo e consequentemente trabalhar vários outros objetivos específicos. O resultado final foi fantástico, até mais do que a gente esperava. Viemos com uma expectativa, até mesmo limitada devido a nossa primeira experiência artística no palco, apesar de trabalhar em sala o tempo inteiro, mas superou a expectativa”, conta.

Apostando em formas variadas e criativas de chamar a atenção dos alunos e com isso promover uma educação inclusiva e diversa, o professor adianta que o próximo projeto já está sendo pensado e a caminho e que muitos outros virão. “Estamos concluindo o projeto do circo de forma fantástica e vamos caminhar agora para o projeto da africanidade. Temos muitos outros em mente, de ginástica artística, vem aí a Copa do Mundo no meio do ano, há uma série de coisas que temos planejado da melhor forma possível”, finaliza