Entre casas assombradas e a loira da Scar: as lendas urbanas de Jaraguá do Sul

Foto: IA/ OCP News

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

14/05/2024 - 11:05

Em Jaraguá do Sul, além de sua história rica, há um mundo de lendas urbanas que encantam o imaginário popular. Os jaraguaenses compartilham histórias curiosas que repercutem pelos cantos da cidade, enchendo suas ruas de mistério e imaginação.

A loira da SCAR

O imponente Centro Cultural Scar está na boca do povo pelas histórias que rondam o lugar. Alunos, professores e demais pessoas que se apresentam já relataram que viram uma mulher loira que está sempre entre os corredores e demais dependências do grande teatro. Relatos contam que é possível ouvir gritos, sussurros e batidas de porta, será mesmo?

Foto: Reprodução

O ”coisa ruim” que sobrevoa o baile Chop Club

O Chop Club, balada muito famosa da cidade, tem uma história muito bizarra, narrada por várias pessoas que estavam no local no dia do acontecimento. Conta-se que em uma sexta-feira Santa, que também caiu no dia 13, o baile estava cheio, quando ao olhar para cima, quem estava ali avistou uma criatura sobrevoando o local, alguns diziam que era o próprio demônio. Na história os comentários são de que isso aconteceu pelo local não respeitar o tempo de quaresma que estavam passando e por ser uma sexta-feira Santa.

Foto: Reprodução

A casa mal assombrada

Essa história começa quando muitos anos atrás, um garoto teria tirado a própria vida com a arma de seu pai, algumas pessoas contam que ele era muito revoltado, era um jovem que não se relacionava com outras pessoas. Após a sua morte, a família teve que se mudar, pois não conseguiam viver na casa, os móveis se quebravam sozinhos e era possível ouvir barulhos horripilantes mesmo do lado de fora. Dizem que essa casa foi comprada pela empresa Marisol e foi mantida como uma recreativa.

A psicologia por trás das casas mal-assombradas - #TMJ

Foto: Reprodução

Imagem: Ilustração

O menino do cemitério

O bairro Czerniewicz não tem só o nome de estranho, uma história contada por um funcionário do cemitério do bairro diz que toda noite um menino pedia para ele que trocasse a sua roupa, mas quando ele ia atrás dele, o garoto sumia. Então um certo dia, esse garoto encontra o funcionário e conta que foi enterrado com uma roupa de uma cor e que a família teria que trocar. Depois de ter ouvido isso, o funcionário conversou com a família e pediu que levassem outra muda de roupa, que foi colocada em seu túmulo e desde então o menino nunca mais apareceu.

Foto: Reprodução

Vizinhos que assombram

Uma escola de Jaraguá do Sul, localizada na Barra do Rio Cerro, é vizinha do cemitério do bairro. A José Duarte Magalhães existe desde 1900 e as histórias e lendas do lugar sempre foram passadas de ano a ano, muitas gerações ouviram relatos do lugar, muito por ser bem ao lado do cemitério. Alunos e muitos professores contam ouvir vozes, gritos e sussurros na sala da biblioteca, local que divide parede com o muro do cemitério. Um funcionário da escola conta que muitos professores se recusam a dar aula no local, principalmente durante a noite.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Notícias no celular

Whatsapp