Verão de 1516. Uma embarcação espanhola naufraga em Meiembipe, atual Ilha de Santa Catarina. Um dos sobreviventes, Aleixo Garcia, protagoniza uma das maiores aventuras para um europeu em terras brasileiras: percorrer a pé, na companhia de centenas de guaranis, um trajeto de três mil quilômetros, de Florianópolis até o território inca, na Cordilheira dos Andes. A partir daí o Sul do Brasil vive uma verdadeira “corrida da prata”, antes mesmo do início da sua colonização oficial.

Esse é o tema do documentário “De Meiembipe a Chuquisaca: a descoberta do Império Inca” que estreia nesta quarta-feira (13) às 19h no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC).

Com direção de Carolina Borges de Andrade, direção de arte e ilustrações de Eloar Guazzelli, direção de produção e de fotografia de Alexandre Peres de Pinho e animação de Lucas Feitosa, a obra narra a aventura do espanhol Aleixo Garcia pela principal transcontinental indígena do Cone Sul, o Peabiru, que se conectava ao Khapac Ñan, a rede de estradas incaicas, no Alto Peru (atual Bolívia).

O filme, um híbrido de animação e live action, foi feito no melhor estilo BO (baixo orçamento) e reúne os gêneros documentário e road movie, percorrendo as principais cidades e estados brasileiros, paraguaios e bolivianos por onde passou o protagonista.

O filme reúne entrevistas dos três países, entre elas a do jornalista e escritor brasileiro Eduardo Bueno (o Peninha), autor da coleção Terra Brasilis, e do jesuíta espanhol, naturalizado paraguaio, Bartomeu Meliá, um dos mais importantes guaraniólogos da América Latina, atualmente com 87 anos de idade.

O curta-metragem de 25 minutos de duração, contemplado com o Prêmio Catarinense de Cinema, foi inspirado no livro da jornalista e escritora Rosana Bond, “A Saga de Aleixo Garcia: o descobridor do Império Inca”, publicado pela Editora Aimberê (1998).

Ficha Técnica

  • Título:  De Meiembipe a Chuquisaca: a Descoberta do Império Inca
  • Direção, Roteiro e Pesquisa: Carolina Borges de Andrade
  • Art Concept, Ilustrações e Direção de Arte: Eloar Guazzelli
  • Direção de Produção, Direção de Fotografia e Montagem: Alexandre Peres de Pinho
  • Editor de Animação e Finalização: Lucas Feitosa
  • Trilha Sonora Original: Kristian Scoth
  • Duração: 25 min
  • Ano: 2018
  • Realização: Arrebol Produções
  • Patrocínio: Prêmio Catarinense de Cinema/ Fundação Catarinense de Cultura
  • Apoio: Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC)
  • E-mail para contato: contato@arrebol.com.br

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?