Dia 13 de Julho, o dia em que todos os roqueiros colocam o solo favorito “no talo” com muito orgulho. É o dia de mexer a cabeleira e gritar “É dia de rock bebê!”.

Mas porquê 13 de Julho? Bem, foi nesse dia, lá em 1985, que aconteceu um dos maiores festivais do mundo: o Live Aid. Os shows aconteceram principalmente em Londres e na Filadélfia, mas tiveram alguns espalhados na Austrália, Rússia e Japão, o intuito era arrecadar doações para famílias pobres na Etiópia.

O festival foi tão icônico que foi distribuído para mais de 1,5 bilhão de pessoas, sendo uma das maiores transmissões em larga escala por satélite, além de contar com nomes como Sting, U2, Phil Collins, Queen, Dire Straits, David Bowie, The Who, Elton John, Paul McCartney, Eric Clapton, Mick Jagger e Bob Dylan. Incrível, né?

E para comemorar esse dia, a equipe do OCPNews fez uma curadoria muito especial (com dicas dos nossos colaboradores) para te apresentar 7 bandas para provar que o rock não morreu! Ah, e no final, tem uma playlist montada para você ouvir algumas músicas dessas bandas. Bora lá!

Greta Van Fleet

De 2012 até hoje, o som do Greta Van Fleet ainda é muito discutido, principalmente por quem é fã de Led Zeppelin. O principal motivo é a semelhança surpreendente de sonoridade e estética da banda dos irmãos Kiszka com a banda britânica de 1968. Os integrantes Josh Kiszka, Jake Kiszka, Sam Kiszka e Daniel Wagner já afirmaram que o Led Zeppelin não é a única inspiração para o Greta, The Who, Jimi Hendrix e Beatles, além de algumas influências do blues, como Taj Mahal e Robert Johnson também foram fundamentais para a construção do estilo da banda.

Mas afinal, mesmo com todo esse impacto, vale a pena ouvir? Sinceramente, depende de você. Se você curte essa vibe anos 70, estilo hippie, flower power e com muita influência de bandas clássicas, vale a pena conferir as músicas desses caras. Confira algumas na nossa playlist!

IDLES

A banda britânica de punk rock formada por Joe Talbot, Adam Devonshire, Mark Bowen, Jon Beavis e Lee Kiernan conquistam fãs desde 2011 com seu som brutal e com letras sobre sexismo, política, tragédias pessoais, imigração e masculinidade tóxica.
Eles poderiam ser apenas mais uma banda raivosa e inconformada com o mundo, mas o destaque do grupo é a maneira como se comportam nos shows. Toda a rebeldia e a insatisfação das letras é representado diretamente nos palcos, e claro, o público responde à altura.

É realmente difícil comparar a sonoridade de IDLES com qualquer outra banda, pois a performance caótica e o estilo musical ímpar, isto é, sem um gênero definido (segundo os próprios integrantes), faz com que ouvi-los seja uma experiência bem peculiar.

White Lies

A primeira característica que precisa ser destacada dessa banda de 2007, é a pegada “oitentista” contagiante misturada a um rock alternativo que lembra bandas como Imagine Dragons (pop rock) e Capital Cities (indie pop). O grupo é composto por Harry McVeigh (vocal e guitarra) Charles Cave (baixo e backing vocals), e Jack Lawrence-Brown (bateria) e Tommy Bowen (teclados) e é uma alternativa atual bem interessante para quem sente falta de novas músicas com uma “pegada” nostálgica.

Saiba que ao ouvir pela primeira vez, a banda estará obrigatoriamente na sua playlist, pois a qualidade das músicas é de surpreender!

Måneskin

Não são só os britânicos que sabem fazer rock ‘n roll, essa banda italiana, mais especificamente de Roma, faz um som quase sensual sem perder a identidade do hard rock clássico. Eles atualmente tem 28 milhões de ouvintes mensais no Spotify e meio bilhão de views no Youtube, além disso, estão no Top 3 da Billboard com a faixa “Beggin’”.

Composta por Damiano David (vocal), Victoria De Angelis (baixo), Thomas Raggi (guitarra) e Ethan Torchio (bateria), os jovens de 20 e poucos anos trouxeram uma estética sem gênero, com vários acessórios, maquiagem e uma certa nudez provocativa digna do glam dos anos 80.

Com certeza é uma das bandas revelação que ainda farão muito barulho no mundo da música.

Scalene

Uma das bandas nacionais de rock atual mais famosas, a banda Scalene apareceu na segunda temporada do reality show musical Superstar, saindo como vice-campeã e foi vencedora do Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock em Língua Portuguesa 2015/2016 com o álbum Éter.

Pra quem gosta de Radiohead e Queens of the Stone Age, Scalene é uma boa opção nacional de stoner rock, com letras profundas e uma sonoridade mais leve, os integrantes Gustavo Bertoni, Tomás Bertoni, Lucas Furtado e Philipe Nogueira estão há mais de 10 anos com a banda.

Confira as músicas do Scalene na nossa playlist!

Mulamba

A banda formada apenas por mulheres conquistou espaço na música brasileira com seu estilo rock/MPB desde 2015. O grupo curitibano é composto por Amanda Pacífico (voz), Cacau de Sá (voz), Caro Pisco (bateria), Érica Silva (baixo, guitarra e violão), Fer Koppe (violoncelo) e Naíra Debértolis (guitarra, baixo e violão).

Amor, feminilidade, sexualidade, família, igualdade e violência de gênero são alguns dos temas abordados nas letras profundas e que acompanham uma sonoridade única, que mistura rock, funk, MPB e tantos outros estilos musicais brasileiros de uma maneira singular.

Se vale a pena? Com certeza! Dá uma conferida na faixa “Mulamba” e “Lama” ali na nossa playlist.

Molho Negro

Aparentemente 2012 forneceu ao mundo diversas bandas de rock novas, e aqui no Brasil, a banda Molho Negro foi uma delas. Nessa matéria já trouxemos diversos gêneros e estilos musicais, mas essa em particular é pra quem gosta do famoso rock de garagem, com influências diretas do Nirvana, por exemplo.

O trio de Belém do Pará formado por João Lemos (Vocal e guitarra), Raony Pinheiro (Baixo) e Auguto Oliveira (Bateria) tem um ótimo senso de humor na hora de compôr, principalmente nas faixas “Concurso”, “Aparelhagem de Apartamento” e “Mainstream” (Confira nossa playlist!).

Ta afim de ouvir um som divertido sem perder a pegada de “guitarra barulhenta”? Então Molho Negro é perfeito para ser sua nova busca no Spotify.