Criado para incentivar os joinvilenses a entrar na dança, o concurso Desafio cidade que dança chega à quarta edição. Neste ano, com uma novidade que vai agradar em cheio os fãs de um dois pra lá, dois pra cá. Será mantido o formato que inspirou o evento, com participação de convidados, mas pela primeira vez haverá oportunidade para adesão de outros interessados. Duas vagas – uma para homem e outra para mulher – serão abertas, e caberá aos organizadores selecionar os candidatos. Entre no site e faça já a sua inscrição. O prazo vai de 29 de abril a 31 de maio. Neste ano, as modalidades escolhidas para o evento são tango e sertanejo. O lançamento do concurso ocorre no Dia Mundial da Dança, 29 de abril, às 20 horas, na Casa do Capitão, com exposição fotográfica destacando participantes que já fizeram parte do “Desafio”. Neste ano, os concorrentes vão dançar com bailarinos do Bolshoi e do Studio de Dança Dois Pra Lá Dois pra Cá e terão o desafio de, em menos de dois meses e com 14 ensaios, preparar-se para a disputa.

Concurso será no dia 20 de julho

A Noite de Gala, em que as duplas participantes apresentam seus números à comissão julgadora, está marcada para 20 de julho, no salão da Sociedade Harmonia Lyra, com jantar e concurso. Ingressos começam a ser vendidos em breve. Já confirmaram participação nomes como a jornalista Sabrina Aguiar, o gerente comercial da RIC TV Joinville, Cristian Vieceli, os empresários Rodrigo Filipi e Giovana Preusser e o artista Eduardo Feitosa. Em 2017, a campeã foi a empresária Luciana Areias, que dançou bolero e tango. Ela relembra com entusiasmo a experiência: “Foi uma surpresa enorme e uma emoção sem igual. Ganhar nem passava pela minha cabeça”. Durante os ensaios, a grande dificuldade, para Luciana, foi aceitar que, na dança, a mulher é conduzida. “No dia a dia, a gente está acostumada a se colocar na liderança, no comando. Participar do ‘Desafio’ mudou minha vida.” Idealizador do concurso, o diretor do Studio de Dança Dois Pra Lá Dois Pra Cá, Maycon Santos, comemora 15 anos de atuação como professor e empreendedor na área. “Nesse período, ensinei muita gente a dançar e aprendi, entre outras coisas, que a dança de salão tem o poder de transformar para melhor a vida das pessoas, tornando os praticantes mais felizes e confiantes. Foi imbuído dessa convicção que criei o ‘Desafio Cidade que Dança’, um evento marcante na vida de todos”.