Deficientes visuais podem contar com maquetes táteis para aproveitar o acervo. Foto: Divulgação/Museu WEG
Deficientes visuais podem contar com maquetes táteis para aproveitar o acervo. Foto: Divulgação/Museu WEG

Na última sexta-feira (7), o Museu WEG de Ciência e Tecnologia recebeu a visita de 10 atletas com deficiência visual e demonstrou que é possível criar um ambiente sem obstáculos e uma experiência para todas as pessoas, sem exclusões.

O grupo, vindo de Blumenau, teve a oportunidade de conhecer toda a estrutura do museu através das maquetes táteis de todos os ambientes do acervo. Além disso, puderam pedalar a bicicleta elétrica ao som do rádio que liga com a energia gerada por ela.

Os visitantes vivenciaram ainda experiências elétricas através do som e da eletrostática na pele, mas o auge da visita foi quando através do tato, puderam conhecer as partes e peças que constituem um motor elétrico e através deles entender seus processos de fabricação aliado às explicações dos monitores da visita.

Além da equipe do museu envolvida, a visita contou com a participação de três voluntários que ajudaram a dar atenção individualizada que cada visitante merece.

"Quando falamos em acessibilidade, estamos falando em ambientes que respeitam as diferenças e que permitam que todos tenham o seu direito de ir e vir preservados", afirma a empresa, em nota para a imprensa.

Com uma proposta tecnológica e interativa, o Museu WEG de Ciência e Tecnologia possui estrutura preparada para receber todos os visitantes de braços abertos, principalmente, para proporcional conhecimento com autonomia. Além do suporte físico, conta com uma equipe treinada para receber visitantes com necessidades especiais.