A autora da saga de sucesso Harry Potter, J. K. Rowling revelou na segunda-feira (22), em sua conta no Twitter, que o endereço da sua família foi publicado na internet e que recebeu ameaças de morte, segundo ela, de ativistas dos direitos dos transgêneros que acusam a autora de transfobia.

Em uma sequência de oito tweets a autora explicou que na sexta-feira passada o endereço de sua família foi postado no Twitter por três atores ativistas que tiraram fotos de seus familiares em frente a residência.

Em outro post, a britânica implorou para que os internautas que retuitaram a imagem com o endereço ainda visível, mesmo os que tenham feito em condenação às ações dessas pessoas, apagassem as publicações.

No ano passado, a autora compartilhou um artigo sobre "pessoas que menstruam" no Twitter.

"Tenho certeza de que costumava haver uma palavra para essas pessoas. Que alguém me ajude", ela indicou, ironicamente.

O post rendeu diversos comentários de internautas que responderam que homens transgêneros podem menstruar e que há mulheres trans que não podem.

Na segunda-feira (22), Rowling afirmou que foi procurada por muitas mulheres que foram vítimas de "campanhas de intimidação", variando de assédio a ameaças de estupro.

A autora acusou esses três ativistas que divulgaram o endereço da sua família de terem feito isso para intimidá-la e impedir que ela defenda os direitos das mulheres com base no sexo biológico.

"Já recebi tantas ameaças de morte que poderia empacotar a casa com elas, e não parei de falar. Talvez - e estou apenas jogando isso aí - a melhor maneira de provar que seu movimento não é uma ameaça para as mulheres, seja parar de nos perseguir, assediar e ameaçar" disse no Twitter.

Veja todos os tweets da autora clicando aqui.