Desde segunda-feira (4), o Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC) tem um novo presidente. O músico, produtor e filmaker Anderson Dresch Dias Correa (foto) substitui Cassio Correia e fica à frente do órgão até 2020, tendo o diretor administrativo da Secult, Evandro Censi, como vice.

O CMPC integra a estrutura do Sistema Municipal de Cultura, é formado por membros do poder público e da sociedade civil e tem a função de formular estratégias para a área cultural de Joinville e fiscalizar as ações da Prefeitura nela.

A eleição deveria ter acontecido em março, mas acabou adiada por questões burocráticas relacionadas à publicação dos documentos da última Conferência Municipal de Cultura e a greve dos caminhoneiros.

Anderson assume o CMPC num momento conturbado, com insatisfação geral de produtores e artistas com as políticas públicas para o setor da cultura. O Simdec, por exemplo, virou uma grande incógnita, e a Cidadela, exemplo de abandono. São dois temas que o novo presidente elenca como urgentes.

Quando perguntado como o conselho pretende agir no tocante ao Simdec, Anderson respondeu:

“Diálogo entre conselho, comunidade e poder público. Tenho convicção de que poderemos ajustar muita coisa e fazer com que o andamento do sistema possa melhorar. Acredito que essa seja a intenção de todos”.

Segundo Dresch, o CMPC vai agir aconselhando, trazendo ideias criativas e inovadoras e cobrando a presença das secretarias de governo que tenham afinidade com os temas. Além disso, agindo politicamente, buscando a participação do legislativo e de instâncias estaduais e nacionais.

“Temos que ampliar nosso campo de visão”, afirma ele. “Não adianta ficar apenas apontando problemas e cobrando soluções. É nosso papel trazer soluções para a mesa, puxar as autoridades e construir algo de forma conjunta. Seremos um conselho fiscalizador, mas também propositivo e positivo”.