Sabe aqueles cachorrinhos super fofos de calendários de animais? Daqueles que até parecem uma pelúcia e da vontade de esmagar?

A Jujuba é esse tipo de cãozinho! A golden retriever de 65 dias, vive em Massaranduba e está sendo treinada para realizar Terapia Assistida por Animais (TAA), um tipo de intervenção dirigida em que cães e outros bichos participam do processo de terapia de crianças e idosos, estimulando ainda mais o desenvolvimento.

Elisângela Sawulski, a tutora da filhote, conta que ela é muito dócil e treina todos os dias, principalmente obediência. Devido à função que a cachorrinha vai ter, será preciso ter muito controle.

A ideia de ter um animal para realizar essa terapia surgiu após Elisângela, que atua no Corpo de Bombeiros de Massaranduba, ter passado por um seminário que falava sobre a intervenção, ela se apaixonou e decidiu buscar um labrador para ser seu parceiro e ajudar pessoas no processo.

"Encontrei um em Curitiba, mas no dia que fui buscar houve uma falha de comunicação e a moça do canil não separou para mim um labrador e sim uma golden", explica a tutora. "Lógico que me apaixonei, porque ela é muito fofa", completa.

Depois de ter escolhido sua companheira, ela criou o projeto "Focinho e Amor", que além de Jujuba, em breve contará com Atena, que também é uma filhote canina.

Ela tem a mesma idade da "irmã", porém, a treinadora conta que seu desenvolvimento é mais lento por ela ser muito agitada.

Além das duas, Elisângela e o namorado, Ederson Deretti, que também é bombeiro, já treinaram o grande Apolo, que hoje trabalha com o casal na busca e salvamento de vítimas.

Elisângela e o marido também treinam Apolo e Atena | Foto Arquivo Pessoal

Quando estiverem grandes, Jujuba e Atena, também poderão ajudar os "pais humanos", no trabalho, mas por enquanto, o foco é que elas ajudem crianças e idosos nas terapias.

A treinadora conta que um dia sim, um não, leva a pequena golden para o trabalho, para ter mais tempo de treina-la e para que ela tenha contato com outras pessoas.

"Ela já teve um contato com as crianças da Apae um dia la no quartel. Foi muito legal", conta Elisângela. "Como foi o primeiro contato, eu não esperava que ela fosse agir assim, mas ela ficou super confortável", afirma.

A tutora conta que Jujuba ficou muito confortável com a presença das crianças | Foto Arquivo Pessoal

Em julho, as parceiras vão fazer um curso sobre terapia assistida por cães. Jujuba receberá um certificado e a partir de então, vai começar a participar das intervenções. Além disso, ela já terá tomado todas as vacinas necessárias.

A intenção do casal é ter mais cães no projeto, mas primeiro precisam que as duas filhotes já estejam bem treinadas e obedientes.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?