É difícil encontrar alguém que não queira viajar pelo mundo e conhecer diferentes lugares. Entre os destinos tão sonhados, quase sempre aparecem os países europeus.

Caso você seja uma dessas pessoas, temos uma notícia que pode não ser tão agradável. O Parlamento Europeu aprovou nesta semana um sistema de autorização de viagens para turistas de países que não precisam de visto para viajar a algum lugar da União Europeia (UE).

A autorização prévia vai começar a ser exigida a partir de 2021. Agora, a lei precisa ser adotada formalmente pelo Conselho de Ministros, que já tinha entrado em um acordo sobre ela. Depois, será publicada no Diário Oficial.

Mas, como isso vai funcionar?

Antes de viajar à Europa, os turistas terão de preencher um formulário eletrônico com dados pessoais, informações do documento de viagem e o país em que entrará.

Além dos brasileiros, turistas de outras 60 nacionalidades serão afetados, como canadenses, americanos, australianos e latino-americanos.

A autorização será válida por três anos e vai custar 7 euros (cerca de R$ 32), a não ser para viajantes menores de 18 anos ou maiores de 70 anos, para quem será gratuita.

Foto: Wikimedia Commons

O objetivo é comparar as informações oferecidas por cada cidadão com as de distintas bases de dados europeus para identificar, antes de sua saída, as pessoas que apresentem "um risco de migração irregular ou de segurança".

Caso seja detectado algum risco, os pedidos serão processados automaticamente e é esperado que o sistema aprove a grande maioria das autorizações quase imediatamente.

Mas, se o cruzamento de dados detectar alguma informação relevante para o risco de segurança, o pedido será processado manualmente.

A decisão de aprovar ou não a autorização deverá ser feita em até 4 semanas. As recusas devem ser justificadas e o solicitante tem o direito de recorrer.

Para ser mais preciso, a autorização será necessária para entrada nos países que fazem parte do chamado Espaço Schengen, mesmo que a passagem por um deles seja apenas para conexão. São eles:

  • Alemanha
  • Áustria
  • Bélgica
  • Dinamarca
  • Eslováquia
  • Eslovênia
  • Espanha
  • Estônia
  • Finlândia

Foto: Divulgação

  • França
  • Grécia
  • Holanda
  • Hungria
  • Islândia
  • Itália
  • Letônia
  • Liechtenstein
  • Lituânia
  • Luxemburgo
  • Malta
  • Noruega
  • Polônia
  • Portugal
  • República Checa
  • Suécia
  • Suíça

 

Fonte: G1

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?