A bicicleta, esse meio de transporta ainda tão querido pelos joinvilenses – e resistente símbolo da cidade, ainda que em tempos mais duros para seus adeptos -, ganha holofotes nas paredes do Instituto Internacional Juarez Machado. A partir deste sábado (26), ela evoca uma viagem ao redor do mundo nas imagens do fotógrafo paranaense Eduardo Nascimento, cuja exposição divide espaço com as telas do blumenauense Marcos Bento. As duas mostras abrem às 10h.

“Bicicleta” é uma coletânea de 42 registros curiosos feitos por Nascimento que mostram a “magrela” em Lisboa, Roma, Milão, Paris, Havana, Punta del Leste, Cusco, Gramado, Ilha do Meu, São Luiz e outros lugares. Memórias de infância, acenos a aventura e a liberdade e conceitos de mobilidade urbana e ecologia surgem aqui e ali nos flagrantes do fotógrafo. Ele já participou de dezenas de coletivas, ganhou vários prêmios e publicou livros temáticos sobre fotografia.

Já Marcos Bento, mesmo longe do litoral – seu ateliê fica em São José dos Pinhais (PR) -, pinta obsessivamente o mar, a areia branca da praia, as ondas chocando-se contra as pedras. São fragmentos de sua infância, que transparecem em pinceladas quase abstratas, impressas em telas de grandes dimensões divididas em dípticos e trípticos. Atuando desde os anos 70, Bento acumula participações em exposições e prêmios e têm obras espalhadas por museus e acervos no País.