Spencer Elden, conhecido mundialmente como 'bebê do Nirvana', por estrelar a icônica capa do disco Nevermind, entrou com um processo nesta terça-feira, 24, contra a banda. As informações são da revista Exame, com base em reportagem do jornal britânico The Independent.

O processo foi aberto em um tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos. Elden, hoje com 30 anos, alega que imagem de si mesmo, quando tinha quatro meses, na capa do álbum constitui exploração sexual e pornografia infantil.

Elden disse que nem ele nem seus tutores legais assinaram um documento autorizando o uso de quaisquer imagem e nem receberam por isso. Segundo informações preliminares, os pais dele receberam 250 dólares na época para o ensaio exclusivo. A imagem da capa mostra Elden em uma piscina pegando uma nota de um dólar, com sua genitália exposta.

A ação conta com 15 réus, entre eles, membros da banda, a viúva de Kurt Cobain, Courtney Love e a gravadora que lançou e distribuiu o disco nos últimos 30 anos. O álbum foi lançado em 1991. Em 2016, Elden recriou o ensaio; era a quarta vez em que Elden recriava a foto, após repetições em 2001, 2008 e 2011, para jornais e revistas.

Ele pede 150 mil dólares (cerca de 787 mil reais, em conversão direta) de cada um dos 15 réus e que seu caso seja analisado por um júri.

Os advogados de defesa alegam que a “verdadeira identidade e nome legal de Eden estão para sempre ligados à exploração sexual comercial que sofreu como menor, que foi distribuída e vendida em todo o mundo desde que ele era um bebê até os dias atuais”.

Eles afirmam também que a imagem faz com que Elden se assemelhasse a "um trabalhador do sexo agarrando-se por uma nota de um dólar". Elden alega que sofreu danos emocionais extremos e permanentes com manifestações físicas até os dias de hoje.

Na ocasião do lançamento do álbum, o falecido vocalista da banda, Kurt Cobain, defendeu a foto alegando que as únicas pessoas que se ofenderiam com a imagem seriam "pedófilos enrustidos".

O processo também aponta que os 15 réus conscientemente produziram, possuíram e anunciaram pornografia infantil comercial retratando Spencer, e eles receberam valor em troca de fazê-lo. “Apesar desse conhecimento, os réus falharam em tomar medidas razoáveis ​​para proteger Spencer e prevenir sua exploração sexual generalizada e tráfico de imagens", diz a ação.

Elden alega que o fotógrafo Kirk Weddle ativou seu “reflexo de vômito” antes de jogá-lo debaixo d'água. “Para garantir que a capa do álbum desencadearia uma resposta sexual visceral do espectador, [o fotógrafo Kirk] Weddle ativou o 'reflexo de vômito' de Spencer antes de jogá-lo debaixo d'água em poses destacando e enfatizando os genitais expostos.