Como se já não fosse uma proeza digna de comemoração trazer a Joinville a banda Francisco El Hombre, a SouNina Produções e a Casa 97 capricharam ainda mais no evento marcado para este sábado (16), na Manchester Hall. É que a noite - no melhor estilo três em um - terá também os shows dos pernambucanos Tagore e de Jesus Luhcas, maranhense que hoje esbanja seu talento e carisma em Joinville. No melhor estilo anfitrião, Jesus Luhcas fará o show de abertura às 21h, mas a Manchester Hall estará aberta a partir das 20h. Logo depois será a vez da banda Tagore com sua pegada psicodélica. Para fechar a noite, a simpática Francisco El Hombre assume o palco, na penúltima parada da turnê que percorre o país de Norte a Sul. Os ingressos já estão à venda na plataforma online Sympla e custam R$ 30 (até hoje) e R$ 35 (último lote). Na hora, o ingresso será R$ 40. Primeira banda independente a concorrer ao Grammy Latino na categoria “Melhor canção em Português” e com participação em dois dos maiores festivais de música da América Latina, o Lollapallooza (Brasil) e Vive Latino (Mé- xico), a Francisco El Hombre é formada pelos irmãos mexicanos Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte e pelos brasileiros Juliana Strassacapa, Andrei Kozyreff e Rafael Gomes. O quinteto encontra na estrada (e na vida cotidiana) as suas grandes inspirações, mas não só. Com letras em português e em espanhol, a banda se tornou uma peça fundamental na conexão latino-americana. Em seus shows, coloca o público de língua portuguesa para cantar em espanhol e as pessoas de idioma latino para entoar as canções em português. Para eles, não há fronteira que não possa ser cruzada. Entre 2015 e 2017, a banda fez mais de 600 apresentações. Destaque para os festivais América x Su Musica (Cuba), Quimera e FimPro (México) e Imesur (Chile). Também passou pela Argentina e pelo Uruguai. Em território nacional, tocou no Rec Beat (Recife), Virada Cultural de São Paulo (municipal e estadual), Festival DoSol (Natal), El Mapa de Todos (Porto Alegre), Fora de Noca (Florianó- polis), Psicodália (Rio Negrinho), Bananada e Vaca Amarela (Goiânia), Coma e Festival Tenho Mais Discos que Amigos! (Brasília). MAIS ATRAÇÕES EM UMA SÓ NOITE Outra atração da noite será a banda pernambucana Tagore. Após fixar residência em São Paulo e lançar “Movido a Vapor”, seu elogiado disco de estreia, o grupo saiu em turnê pelo Brasil e passou pelas principais casas e festivais da cena independente nacional. Esse giro foi o que influenciou a banda a utilizar mais elementos eletrônicos em suas apresentações, criando uma atmosfera intensa e experimental. Dois anos depois, em outubro de 2016, Tagore lançou seu segundo disco, “Pineal”. Com letras e sons mais universais, o novo trabalho colocou a banda na categoria das que conseguem se reinventar sem perder suas características originais. Antes do show da Tagore, quem sobe ao palco é o cantor e compositor Jesus Luhcas, acompanhado de banda. De São Luís do Maranhão, o artista - que atualmente vive em Joinville - vai abrir a noite com sua voz marcante e nuances melódicas de canções próprias como “Bicho Solto”, “Abrasileirar”, “Isso é Amor”, “Garupa” e “E Eu”, entre tantas outras. Desde a primeira apresentação em setembro de 2016, Jesus Luhcas tem assumido como missão utilizar suas canções e performances para espalhar a paz, o amor, a liberdade e aceitação, incentivando toda forma de amor.