“Meu nome é Maria Otávia, sou atriz, e sou uma surda que ouve”. Foi com essas palavras que a catarinense estrelou a campanha “Surdos que Ouvem 2019 nesta semana. O programa tem o intuito de trazer relatos da rotina de deficientes auditivos que escutam através da tecnologia.

Entre as doze histórias escolhidas para participar do projeto está a de Maria Otávia Cordazzo.

Natural de Balneário Piçarras, Tatá, como é conhecida pelos mais íntimos nasceu prematura e começou a usar aparelhos auditivos aos cinco anos de idade após tomar fortes antibióticos para um tratamento que destruiu suas células sensoriais.

Segundo a atriz, a descoberta da deficiência ocorreu quando seus pais lhe levaram em uma fonoaudióloga pois perceberam que ela não se comunicava facilmente.

Na época, ela chegou a realizar um teste de audiometria - confirmando o diagnóstico”Eu era uma pessoa muito fechada. Eu queria ser uma outra pessoa. Aí eu pensei vou ser atriz mesmo”, relembra.

Realização de um sonho

Durante alguns anos, a catarinense realizou algumas peças de teatro em sua cidade quando em um determinado momento de sua vida decidiu se mudar para São Paulo para se profissionalizar no meio artístico.

Na terra da garoa, a história de Maria Otávia chamou a atenção do diretor global Jayme Monjardim que lhe convidou para seu primeiro papel de destaque na novela “O Tempo de Amar”, em 2017 na rede Globo.

Atualmente, Maria Otávia está no ar na novela Malhação interpretando uma fonoaudióloga.

“Os meus pais sempre me incentivaram. Mas eles tinham uma preocupação. Meu deus, o que vai acontecer com a minha filha?”,comenta. “ Eu consegui. Seu eu vou consegui outros trabalhos eu não sei, mas era o meu objetivo. E vou a luta de novo”, se emociona.

Confira o relato emocionante da catarinense

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito: 

WhatsApp  

Telegram  

Facebook Messenger