Sérgio Adriano H é um artista que usa o corpo para se expressar. E, ainda que absolutamente imóvel, cada músculo seu representa o desejo de atrair o olhar para o imperceptível. Sérgio também é um manipulador de palavras, que, mesmo represadas na garganta ou escondidas em afrescos, gritam de indignação perante uma sociedade que já não disfarça a hipocrisia. É assim, fazendo de si próprio o fio condutor do inconformismo, que Sérgio Adriano H. tornou-se o artista visual catarinense de maior evidência hoje no País, com mais de 90 exposições no currículo.

Para se ter uma ideia do alcance do trabalho do joinvilense, ele já participou de mais de 20 mostras somente em 2018, entre coletivas e individuais. São projetos no Brasil todo, principalmente em São Paulo, Santa Catarina, Brasília, no Rio de Janeiro e no Paraná. Em um ano, são duas bienais na conta (de Curitiba e Brasília), e quando este tiver terminado, mais algumas participações terão elevado esse número, entre elas, a 8ª Bienal de Fotografia Documental da Argentina, a 46ª Coletiva de Artistas de Joinville e a exposição itinerante “Enigmas da Visão”, que passará pela Itália em 2019.

Antes disso, porém, ele tem um encontro com estudantes de cinco escolas públicas de Joinville, que receberão, até o final de outubro, “O Visível do Invisível”, projeto contemplado no Simdec. Trata-se de uma instalação/intervenção urbana na qual Sérgio fotografou a si mesmo chorando, ora com o rosto pintado de branco, ora com o rosto com tinta preta, numa metáfora à condição do negro, sua invisibilidade na sociedade e à escravidão.

"Parte do meu trabalho é desconstruir ‘verdades apresentadas’. “É deixar visível o invisível do racismo, do preconceito, da morte, que não é só física, mas moral e social”, diz Sérgio. “Quero comunicar sobre conhecimento. A gente soma conhecimento com o outro. Não fomos educados para ser formuladores de perguntas, fomos educados somente para responder perguntas. Porém, quero retirar o outro da passividade e fazer com o que mesmo entre em ação, formule perguntas, se questione sobre a arte e a vida”.

Programação

Dias 8 e 9 - E.E.B Professor João Rocha, rua Habib Faráh, 296 - Aventureiro

De 15 a 17 - E.E.B. Osvalado Aranha, rua Lindóia, 103 - Glória

Dias 18, 19 e 22 - E.E.M. Governador Celso Ramos, rua Dr. Plácido Olímpio de Oliveira - Bucarein

De 23 a 25 -  E.E.E professor Juracy Maria Brosing, rua dos Metalúrgicos, S/N - Paranaguamirim

De 29 a 31 - E.E.B. Germano Timm, rua Orestes Guimarães, 406 - América