Por ocasião da reportagem especial do fim de semana a respeito do Guia de Atrativos Religiosos, surgiu assunto em torno do padre Antônio Echelmeyer, conhecido como “o padre construtor”. Sua história e realizações em Jaraguá do Sul e região são contadas na obra biográfica “Frutos de um sim”, de Giuliano Sávio Berti. O religioso, que viveu no bairro Nereu Ramos por 40 anos, era arquiteto autodidata e idealizou e ajudou a construir a Igreja Nossa Senhora do Rosário, naquele bairro, a casa de retiros Centro Shalom (que antigamente era um hospital), o Hospital São José e o Colégio Divina Providência (Colégio Bom Jesus), além do Seminário Coração de Jesus, em Corupá. https://ocponline.com.br/almanaque-dia-mundial-da-oracao/ O sacerdote morreu em 1985 e seu corpo está sepultado no interior da Igreja Nossa Senhora do Rosário, onde foi montado um mausoléu em sua homenagem, contendo alguns de seus pertences.
“Na época da construção dessas igrejas antigas, as comunidades faziam grande esforço para levantar fundos e trabalhavam muito na obra. Muitos padres recebiam dinheiro doado pela própria família, que vinha de seu país de origem, como é o caso do padre Antônio”, destaca.

Anúncio de hotel da capital do Estado

Propaganda do Hotel Gloria de Florianópolis em 1940 | Foto Arquivo/OCP
Propaganda do Hotel Glória, de Florianópolis, circulava pela cidade nas edições do O Correio do Povo de 1940. Na época, a estrutura era a única do Estado a conter elevador e manter aparelhos de telefone em todos os quartos. E o mais importante: oferecia banhos quentes. https://ocponline.com.br/almanaque-igreja-cristo-salvador-em-tres-momentos/