Quem passa na esquina entre as ruas Presidente Epitácio Pessoa e Emílio Carlos Jourdan, no Centro, logo se depara com um moderno monumento em frente ao Madero. Trata-se do Memorial Escola Federal Subvencionada da Professora Aurélia Maria Vieira Wachter, resultado de ajuste de conduta em função da demolição do prédio remanescente que abrigou a primeira instituição deste tipo em Jaraguá do Sul. A escola pública itinerante foi instalada no fim do século 19 na então Colônia Jaraguá e funcionou em diversos pontos, conforme a demanda de alunos. Leva o nome da sua professora titular, que chegou ao distrito em 1901. Por fim, a instituição se estabeleceu em prédio edificado em 1907 naquela esquina, sendo transformada em escola feminina em 1914. A edificação foi demolida em 2008. Preservativo, aliado da saúde há mais de um século • O cartaz criado nos anos 50 pelo Serviço Social de Saúde de Seattle (EUA) promove o uso do preservativo. Na época, foram impressos dois mil cartazes para a campanha comunitária. As informações no texto apresentavam a importância do uso do preservativo para evitar doenças venéreas, com destaque à herpes. Entretanto, a camisinha é uma arma importante também contra a Aids, doença diagnosticada há 36 anos, que na virada dos anos 2000 já havia causado a morte de 12 milhões de pessoas, segundo a ONU, infectando pelo menos 30 milhões (500 mil no Brasil). A Aids também trouxe de volta doenças antes sob controle, como a tuberculose. A invenção do preservativo assim como conhecemos hoje ocorreu no início do século 19 (foi patenteada em 1916).