Uma curiosidade no agendão desta semana: de segunda a domingo, todos os dias estão ocupados com eventos. Curioso, louvável e variado, frise-se. Assim, é só olhar a data mais folgada no calendário e se mandar, porque tem um pouco de tudo na programação, com um leve pendor para o teatro e as artes visuais. Vai vendo:

 

1 - “Dor de Passarinho”
Em evento promovido pelo curso de letras da Univille, a escritora Rita de Cássia Alves (foto abaixo) participa de um bate-papo sobre o livro infantil “Dor de Passarinhos”, lançado em junho pela Editora Areia. A conversa, aberta ao público, pretende discutir as formas com que a literatura pode ser usada para refletir e discutir outras questões, inclusive nos campos da psicologia e da pedagogia. A escritora e musicista Beth Fontes abrirá a apresentação com um pocket show com canções inspiradas em livros infantis joinvilenses - entre eles, “Dor de Passarinhos”.
Quando: segunda (8), às 20h40, no anfiteatro da Colégio da Univille.

2 - AutoAmor
AutoAmor é um projeto multicultural que inclui exposição, poesia, bate papo e música. A arquiteta e artista visual Graziella Demantova (foto no alto) e o escritor e produtor cultural Rodrigo Domingos desenvolveram uma proposta de resgatar a autoestima e o amor próprio das pessoas. Para isso Graziella desenvolveu 15 obras em bordado, atrás das quais consta uma poesia de Rodrigo. O projeto inclui ainda palestras gratuitas e um show da cantora Rafaela Antonioli.
Quando: terça (9), às 20h, no Shopping Mueller.

3 - Cineclube Premium
O filme franco-belga “A Espuma dos Dias” (2013), do diretor Michael Gondry, é a sessão desta semana na 33 Arthouse. Na trama, Colin é um homem rico e tímido, mas que deseja encontrar alguém. Apesar do primeiro encontro com Chloé ter sido um desastre, os dois se apaixonam e se casam. Porém, a felicidade deles é posta à prova quando Chloé é diagnosticada com uma doença rara.
Quando: quarta (10), às 20h, na 33 Arthouse (rua Bento Gonçalves, 33).

4 - Canções italianas
O barítono Douglas Hahn, acompanhado do pianista Matheus Alborghetti, protagoniza o espetáculo “Célebres Canções Italianas”, dedicado ao repertório de consagradas e tradicionais canções italianas que se destacam no mundo da música erudita e popular ao longo das décadas.
Quando: quarta (10), às 20h, na Sociedade Harmonia-Lyra.

5 - Exposição
O artista visual Marc Engler abre nesta semana a exposição Vale de Ouro, que traz uma reflexão sobre a industrialização dos desejos e os impactos em nossa sociedade e meio ambiente. Marc apresenta sua arte de forma contemporânea, utilizando o cubo como símbolo de um processo de conformidade, um pensar induzido que é tido como verdade, uma prisão invisível que vivemos na atualidade. A mostra, que leva o apoio cultural da Univille,
Quando: quarta (10), às 20h, até 8 de novembro, no Garten Shopping.


6 - Boi de mamão
O espetáculo "Quedelhe o Boi?" é uma produção de teatro de bonecos assinada pelo Pequeninus Grupo de Arte, de Canelinha. Tem como tema o folguedo do boi de mamão, inspirado e pesquisado em diversos bois brincados no país, incluindo personagens catarinenses (Bernunça,Benzedeira, Médico, Vaqueiro, Maricota).
Quando: quinta (11), às 20h, na sala 106 do Shopping Cidade das Flores.

 

7 - "A Litorina”
Uma tragédia. Três personagens centrais movem a peça, num bar de uma estação ferroviária: o chefe do lugar, um agiota preocupado apenas consigo mesmo e nos seus lucros; um bêbado abandonado pela mulher que deseja fazer justiça com as próprias mãos; e um vendedor que media as discussões, mas não interfere no seu desfecho. Escrita por Miraci Dereti em 1970 e pouco apresentada na época, a peça ganhou nova montagem com o Abismo Teatro de Grupo.
Quando: quinta (11) e domingo (14), às 20h, no galpão da Ajote (Cidadela Cultural).

8 - Fotografia
“Do Porão ao Sótão” é a exposição que  artista visual, fotógrafa e pesquisadora Ana Sabiá, de Florianópolis, abre nesta semana no Sesc. Ela exibe uma série de 150 fotografias em pequeno formato que mostram o ambiente familiar doméstico e do sujeito, de uma maneira por vezes ética e intimista, a partir de sua vivência cotidiana, física e emocional, e em conversa subjetiva com textos de Clarice Lispector, Pablo Neruda e Gaston Bachelard.
Quando: quinta (11), às 20h, até 30 de novembro, no Sesc de Joinville.

9 - “Os Palhaços”
Dia 17 de agosto de 1968. O Grupo de Teatro Renascença desejava estrear Os Palhaços de Miraci Dereti, mas é impedido pela censura local. Em 2018, o Abismo Teatro de Grupo, depois de realizar uma série de leituras dramáticas, levará para a cena o espetáculo depois de 50 anos. Conforme Dereti descreve “não era uma peça de enredo. É uma peça da vida real, do cotidiano (...). O cotidiano fornece o argumento. As situações e os quadros não são criados. São apenas reproduções daquilo que a vida e a sociedade nos coloca diante dos olhos dia após dia (...).
Quando: sexta (12) e sábado (13), às 20h, no galpão da Ajote (Cidadela Cultural).

10 - “A Princesa Margarida – um Musical Brincante”
A Princesa Margarida desapareceu, e o rei convoca a todos para que venham ajudar a encontra-la. O espetáculo de formas animadas, com dramaturgia criada a partir da ciranda “Onde está a Margarida”, contém muitos elementos dos contos que povoam o imaginário popular, com cantigas e brincadeiras tradicionais levadas de forma interativa pelas atrizes Prika Lourenço e Ângela Finardi
Quando: sexta (12), às 18h, no Sesc de Joinville.

11 - Heavy metal
Para os adeptos do peso extremo, passará por Joinville a Inhuman Legacy Tour, parceria entre as bandas curitibanas de thrash metal Krucipha e Legacy of Kain – esta, com mais de 20 anos de estrada. A dupla virá acompanhada de duas atrações catarinenses: a Viletale, de Blumenau, e a Thezor, de Florianópolis.
Quando: domingo (14), às 20h, no Delinquent’s Bar.

12 - “Um Rio de Memória e Gente”
Num dos solos do trabalho 4xDionisos, do grupo Dionisos Teatro, o ator e músico Vinícius Ferreira pesquisou as memórias do sítio de seus avós paternos, e tendo a música e as brincadeiras da cultura popular como elementos disparadores para a construção do trabalho de cena, se propõe a um diálogo, nem sempre linear, de compartilhamento de memórias com o público. No espetáculo, o recurso de um pedal de looping é utilizado para sobrepor as texturas dos instrumentos, criando paisagens sonoras para as histórias e textos poéticos contados e cantados.
Quando: domingo (14), às 20h, no Espaço Cultural Casa Iririú.