Uma semana que já começa com blues de fina cepa, direto da matriz, tende a ser promissora. E não é que é mesmo? Pois a largada com a apresentação do cantor norte-americano Tail Dragger (foto no alto) projeta outras pedidas notáveis, como a estreia do espetáculo que adapta para os palcos joinvilenses o mítico musical "Rocky Horror Show", e, ao fim da agenda, de um festival que transformará o Museu Nacional de Imigração e Colonização num grande pátio de atrações multiculturais.

 

 

1 - História viva
O Museu de Sambaqui de Joinville inaugura nesta semana um novo espaço expositivo chamado “Sambaquis - Montes de Conchas, Montes de História”. Ele discorre sobre evolução humana, sobre os construtores de sambaquis, trabalho e tecnologia na sociedade sambaquiana, recursos, alimentação e mundo simbólico. Mapas mostrando a construção de sambaquis no mundo e no Brasil, informações sobre a cultura material destes povos, réplicas de crânios humanos, que ilustram a evolução humana, e a reprodução de um sepultamento, com esqueleto de resina, no sambaqui experimental, formam o projeto, desenvolvido ao longo de dez meses.
Quando: terça (16), às 19h, no Museu de Sambaqui de Joinville.

2 - Blues na raiz
Dois anos depois de se apresentar no Joinville in Blues Festival, o blueseiro norte-americano Tail Dragger está de volta à cidade. O septuagenário cantor nasceu no Arkansas, mas foi em Chicago, nos anos 60, que ele aprendeu o beabá do blues vendo de perto as lendas do estilo. Na década seguinte aproximou-se da lenda Howlin Wolf, que lhe concedeu a James Yancy Jones o apelido que o acompanharia pelos anos afora. Ainda na ativa, ele já contabiliza 20 discos e DVDs na carreira.
Quando: terça (16), às 19h30, na praça central do Shopping Mueller.

3 - Conversa com a artista
O Instituto Internacional Juarez Machado e a Associação dos Artistas Plásticos de Joinville (Aaplaj) promovem um "Diálogo entre Artistas" com a pintora paranaense Estela Sandrini, que expõe no instituto. Aberto ao público, o bate-papo será mediado pelo diretor artístico e curador Edson Machado  Entre outros assuntos, Estela falará sobre sua relação com o ato de pintar desde a década de 1960, a experiência como gestora de espaços culturais e a profunda reflexão sobre o desvendamento do universo feminino no mundo das artes visuais.
Quando: quarta (17), às 17h, no Instituto Internacional Juarez Machado.

4 - Cineclube Premium
A sessão desta semana é com “O Capital” (2013), um dos mais recentes filmes do diretor grego Constantin Costa-Gravas. Em mais uma exposição escrachada das armadilhas do capitalismo e do poder econômica, ele conta a história de do presidente do banco Phenix, um dos principais da Europa, que adoece e deixa em seu lugar o cínico e ambicioso Marc. Ele fará de tudo em nome do poder e da riqueza, mas enfrentará poderosos inimigos rumo ao topo.
Quando: quarta (17), às 20h, na 33Arthouse (rua Bento Gonçalves, 33).

5 - Experimentalismo italiano
Não é sempre que duas bandas do underground italiano aportam em Joinville, ainda mais se for para apresentar um som totalmente fora dos padrões. A oportunidade única se dará essa semana, com a presença dos projetos Fukte e SŬĀSUM, que estão em turnê pela América do Sul com sonoridades que passeiam pela eletrônica dark e barulhenta. O anfitrião é o grupo joinvilense Esmectatons, outro experimentalista de mão cheia, que mostrará seu lado mais prog/vanguardista.
Quando: quinta (19), às 19h, na Livraria O Sebo.

6 - Sarau do Poeta
A Livraria O Sebo se une a Confraria do Escritor e a Associação das Letras para um evento em prol da poesia. Além dos integrantes das duas entidades e da Academia Joinvilense de Letras, o sarau contará com o pianista Cassiano Ricardo Fayad e o projeto A Mão do Amor, de Eliane Böhr.
Quando: sexta (19), às 19h30, na Livraria O Sebo.

 

7 - Tradição nordestina
Dentro do Projeto Sonora Brasil, o Sesc exibe o documentário “Caminhos do Coco”, projeto contemplado com o Prêmio Funarte de Arte Negra 2012. O filme projeto registra a memória do coco, ritmo da cultura popular do Nordeste. As variações e os mestres de coco são muitos, mas o “Caminhos do Coco” mostra um bonito recorte desses artistas populares, sejam eles do sertão ou do litoral nordestino. No total, seis Estados da região são representados no documentário.
Quando: sexta (19), às 19h30, no Sesc de Joinville.

8 - “Rocky Horror Show”
Mais de 40 anos depois de brilhar nos palcos britânicos, fazer sucesso na Broadway e virar um clássico trash no cinema, o musical ganha uma adaptação Joinville. No espetáculo, contemplado pelo Simdc, conhecemos a história de Frank N' Furter, alienígena vindo do planeta Transexual, galáxia de Transilvânia. Frank está na Terra e busca a fórmula para criar o homem perfeito. Na noite do nascimento da criatura, Brad e Janet acabam entrando no castelo de Frank por acidente.
Quando: sexta (19) e sábado (20), às 20h, e domingo (21), às 19h, no galpão da Ajote.

9 - Mosaico
As artistas Kátia Baeta e Tenessee Liz inauguram nesta semana a exposição conjunta “Due Mosaici”, no qual trabalham o uso de cores para chegar à comparação das flores com mulher-musa. Para tanto, elas se valem de cacos de cacos de cerâmico e pedras, pastilhas de vidro e resina, unindo técnicas antigas e contemporâneas da arte mosaicista.
Quando: de sábado (20) até 3 de novembro, no Shopping Cidade das Flores.

 

10 - Aula de coco
Na aula-espetáculo "Coco de Roda – da Pisada ao Verso", Adiel Luna convida o público a fazer uma imersão na geografia do coco – uma das manifestações mais tradicionais e presentes do Nordeste – e nas suas semelhanças e diferenças: coco de roda, coco pra são joão, coco mazurcado, coco de obrigação... Adiel Luna participou das principais sambadas de Pernambuco e é considerado hoje o único representante da renovação do coco de São João. Atualmente encabeça o projeto Sambas, Batuques e Corredeiras, onde busca fazer uma (re)conexão entre as gerações antigas de sambadores e as gerações atuais de crianças e jovens, estimulando a renovação do repertório musical em comunidades quilombolas e ribeirinhas.
Quando: sábado (20), às 19h, no Sesc de Joinville.

11 - “Os Palhaços”
Depois de duas sessões superlotadas no galpão da Ajote, o Abismo Teatro de Grupo leva o espetáculo “Os Palhaços” para a Casa Iririú. A adaptação do texto de Miraci Dereti, censurado em 1968, continua fiel ao original, mas ganha atualização nas diferentes esquetes protagonizadas pelo trio de atores, nas quais giram reflexões sobre a realidade brasileira, hipocrisia e menções à tortura.
Quando: sábado (20), às 20h, no Espaço Cultural Casa Iririú.

 

12 - Vox Camerata
José Acácio Santana (1939 - 2011) foi um compositor, maestro, poeta e professor catarinense. Iniciou seus estudos de música aos sete anos, passou por várias escolas importantes e foi discípulo de José Penalva, entre outros mestres. Além de uma obra profícua, com cerca de três mil composições populares, eruditas e sacras, foi um grande incentivador do canto coral. O Coro Vox Camerata, sob regência do maestro Rafael Daniel Huch, propõe interpretar uma pequena parte de sua obra.
Quando: domingo (21), às 10h30, na Sociedade Lírica.

 

13 - Festa no museu
Promoção da Secult, o Festival do Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville encherá o domingo com uma programação cultural extensa e gratuita. Será um avivamento daquele espaço, hoje fechado ao público, com várias oficinas, exposições, mostra de bonsais, feira de arte e cultura negra, sessões de curtas franceses e cinema italiano, peças teatrais, poesia, apresentações de dança, música japonesa e erudita, tai chi chuan, maracatu, além de gastronomia internacional.
Quando: domingo (21), das 11h às 18h, no Museu Nacional de Imigração e Colonização.

14 - Metal na praça
Na quarta edição do projeto que coloca as diversas nuances do heavy metal na “cara do gol” – ou seja, tocando de graça no palco do Mercado Público de Joinville -, tocam as bandas Destoner, Impactant, Soul Intruders, Maiden Scream e Dog Sitters.
Quando: domingo (21), às 15h, no Mercado Municipal.

15 - Lucas Miranda
O cantor e compositor Lucas Miranda apresenta ao público seu primeiro EP, “Branco com Vermelho” num show que  terá as participações de Victória de França (Projeto Mundana), do maranhense Thy Alves e do paraense Breno Branches. Natural de Itapoá, Lucas navega pelo indie/folk influenciado por nomes como OF Monsters And Man, Anavitória e Tiago Iorc. Gravado no Prime Estúdio, em Joinville, o disco traz seis faixas acústicas e intimistas que falam sobre a vida, o amor e sentimentos, além de fazerem referência a pontos turísticos de Itapoá, como o Farol do Pontal.
Quando: domingo (21), às 19h30, na Casa 97 (rua Arco-íris, 97).