A galera da Turma da Mônica faz parte da infância daqueles que cresceram apaixonados pelas aventuras contadas nas páginas dos gibis.

Criados pelo ilustrador Maurício de Sousa, os personagens da turma possuem características bem definidas que marcam a personalidade de cada um.

De vez em quando, a Turma da Mônica dá boas-vindas a um novo personagem com alguma característica diferente, mas que homenageia grupos da população que ainda lutam por direitos, como é o caso do menino Lucas, que é cadeirante.

Veja agora as 10 vezes em que a Turma da Mônica deu um show de inclusão social

1 - A Dorinha é cega e foi criada em homenagem à Dorina Nowill, que se tornou um exemplo de superação para a comunidade cega do Brasil.

1

2- O Humberto é surdo e se comunica com os outros personagens usando a linguagem de sinais.

c1c9sv4xuaim9zt

3 - O Lucas é cadeirante e foi apelidado pela turma de "Da Roda".

c1c9f35w8aauklr

4 - O Jeremias foi o primeiro personagem negro da turma, criado nos anos 60.

c1c9qvuweaivox7

5 - A Tati tem Síndrome de Down e foi criada em homenagem à atriz Tathiana Piancastelli.

22

6 - O Hiro tem descendência japonesa e foi o primeiro personagem oriental da turma.

c1c-14xwgaakvqn

7 - O Papa-Capim é o indiozinho mais famoso da turma e recebeu esse nome de um pássaro.

c1c_bhwxaaajg4j

8 - O André tem autismo e é uma homenagem do Maurício de Sousa ao sobrinho neto dele.

c1c_uepwqaio0i

9 - A Pipa faz parte da Turma da Tina e é sempre descrita como uma personagem gordinha, uma crítica aos padrões femininos de beleza.

pipa

10 - Recentemente, o primeiro personagem homossexual de Mauricio Sousa estreou na revista da Turma da Tina Jovem. O nome dele é Caio.

tina2

Estes personagens participam das aventuras com outras figurinhas conhecidas do público como a Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão. Eles ensinam as crianças do gibi e também os leitores a respeitarem as diferenças.