Ao longo da história do Brasil tivemos a formação de um patrimônio histórico e cultural e que hoje contribuem para a preservação de memórias e reflexões acerca da nossa história. Para tal, o país conta com mais de 3,8 mil museus espalhados por diversas cidades. Entre eles, encontra-se localizado no município de Pontal/SP o Museu da Cana, um antigo Engenho Central, construído no início do século XX.

O Museu da Cana é uma instituição cultural que congrega um conjunto preservado de edifícios, maquinários, equipamentos e ferramentas originais, do período entre sec. XIX e início do XX, relativas à produção e processamento da cana-de-açúcar. Com importante valor para a economia brasileira, a cana-de-açúcar foi a primeira planta de cultivo da história do Brasil e apresenta grande influência para o desenvolvimento de todo país. Dessa forma, ao preservar este espaço, torna-se possível que os visitantes conheçam de perto os objetos e instrumentos que marcaram o início desta história e ainda incentiva a pesquisa, visitas escolares, capacitação de jovens entre outros trabalhos especiais.

De acordo com o depoimento da historiadora Erika Moretini, uma das pesquisadoras do Museu da Cana, o trabalho que este Museu realiza vai muito além da preservação de uma indústria de processamento de cana-de-açúcar, o que já seria relevante, chega à vida dos trabalhadores, das pessoas que por lá passaram, abrange a restauração da flora local, abraça o território com todas as suas especificidades e particularidades para narrar a história de um modo de viver e de trabalhar. “É um privilégio ter esse espaço na nossa região”, completa ela.

O Museu da Cana funciona por meio de projetos e incentivos do Ministério do Turismo via Lei de Incentivo à Cultura, e conta com o patrocínio, apoio e colaboração de instituições como a WEG, por exemplo, empresas sensíveis à importância da preservação desse rico patrimônio cultural. A WEG, que possui um museu dedicado a preservação das histórias da fundação da companhia ao qual integra a cultura da cidade onde foi fundada, Jaraguá do Sul/SC, e as maravilhas da ciência e da tecnologia, sabe da importância de projetos como este, por isso contribuiu desde a implantação do Museu da Cana e para a manutenção do espaço.

De acordo com a gestora executiva do Museu da Cana, Leila Heck, desde a abertura em 2013, o museu busca oferecer uma programação com opção de educação, cultura e lazer, voltada para a população desta região, de forma gratuita, cumprindo seu papel social por meio da democratização da cultura.

Recentemente o Museu inaugurou mais um ambiente de atrativo cultural e turístico: o “Alambique do Engenho Central”, um modo de produção artesanal de cachaça, produto muito conhecido e apreciado desde os anos de 1900. Os visitantes - acima de 18 anos-, além de conhecerem os modos de produção, desde a extração do caldo até a alambicagem, poderão usufruir de uma experiência sensorial e única.

O Museu Cana está aberto aos visitantes de terça-feira a sexta e aos domingos das 09h às 16h.

Para saber mais acesse o site: https://www.museudacana.org.br/