A WEG e a Neoenergia realizaram atividades de manutenção em um transformador nas próprias instalações de uma usina térmica, dando mais eficiência ao trabalho e garantindo a disponibilidade de geração de energia.

O serviço foi feito na Termopernambuco (Termope), em Ipojuca (PE), e evitou a parada do empreendimento. O equipamento, que funciona como transformador auxiliar, tem potência de 18/22MVA e tensão em 13,8/4,16kV.

“Com a solução, conseguimos reduzir o tempo de serviço de uma média de seis meses para 30 dias, por ter sido executada in loco. Outra vantagem foi a possibilidade de reunir tanto em campo quanto de forma remota as expertises da companhia e do fornecedor, com domínio tecnológico do equipamento, experiência de engenharia e garantia e qualificação técnica das equipes”, afirma o gerente adjunto de Manutenção da Termopernambuco, José Luis Molla.

Para garantir a realização do serviço com segurança, a usina preparou a sua infraestrutura para receber equipamentos e técnicos.

O transformador é um equipamento do sistema auxiliar da usina, com potência de 22MVA e mais de 22 toneladas de peso.

O transformador reparado contribui para a segurança e disponibilidade que a usina coloca à disposição no sistema.

Além disso, a WEG é uma das poucas empresas com viabilidade de fornecimento e instalação imediata do comutador sob carga, o que demonstra sua capacidade técnico-industrial.

Protocolo de segurança

Devido à pandemia de Covid-19, foi elaborado pela Termope um rígido protocolo de saúde e segurança, que incluiu testagens, obrigatoriedade do uso de máscaras e intensificação da higiene pessoal e dos ambientes de trabalho.

As normas foram seguidas pelos colaboradores das duas empresas e evitaram a contaminação dos profissionais pelo novo coronavírus.

A Termopernambuco tem capacidade de gerar até 533 MW, a partir de três turbinas em sistema de ciclo combinado.

Esse processo combina a operação de duas turbinas a gás, movidas pela queima de gás natural, junto com a de uma turbina a vapor.

A usina mantém contratos de venda de 455 MW médios para duas distribuidoras do Grupo Neoenergia por um período de 20 anos, sendo 390 MW médios para a Celpe (PE) e 65 MW médios para a Coelba (BA).