A WEG recebeu nesta segunda-feira, 5 de setembro, o prêmio de melhor empresa no setor de Mecânica no anuário “Valor 1000”, organizado pelo jornal Valor Econômico.

A pesquisa, desenvolvida pelo Valor em parceria com a Escola de Administração de Empresas de São Paulo, EAESP/FGV-SP, utiliza a receita líquida como parâmetro para o ranking e adota critérios atuais de medida de desempenho, como o Ebitda, gestão do endividamento, desempenho contábil e financeiro.

Em 2021, a companhia com sede em Jaraguá do Sul (SC) teve faturamento líquido de R$ 23,6 bilhões, 34,9% a mais do que no ano anterior, com 54% da receita proveniente de vendas fora do Brasil.

A gigante jaraguaense investiu um total de R$ 847 milhões em bens de capital e o quadro de pessoal ganhou quase quatro mil novos profissionais.

O ano foi marcado por investimentos na melhoria de processos e na automação das operações, juntamente com a capacidade das fábricas do Brasil, China e México.

Além da expansão de unidades já existentes, a WEG também implantou uma nova fábrica de transformadores nos Estados Unidos, a terceira deste negócio no país, e iniciou a construção de uma nova fábrica de motores na Índia.

Além de utilizar os tradicionais indicadores financeiros, a 22ª edição do anuário trouxe novidades. Pela primeira vez, estão inclusos os critérios da agenda ESG (práticas ambientais, sociais e de governança), avaliados por um Comitê ESG composto por oito especialistas.

O anuário, que circula hoje, encartado na edição do dia do jornal Valor Econômico, traz o ranking das mil maiores companhias no país, com destaque às empresas campeãs em cada um dos 26 setores analisados.