A Poly Network, plataforma de criptomoeda vítima de um ataque hacker no início desta semana, confirmou, nesta sexta-feira (13), que ofereceu uma recompensa em dinheiro aos responsáveis por invadir os sistemas da companhia.

A plataforma perdeu mais de R$ 3 bilhões (cerca de US$ 600 milhões) com o ataque. As informações são da Reuters.

A empresa ofereceu uma compensação de cerca de R$ 2,6 milhões (US$ 500 mil), como agradecimento por "ajudar a mostrar vulnerabilidades existentes no sistema".

Na quarta-feira, a empresa confirmou que boa parte dos quase US$ 600 milhões roubados em Ethereum já haviam sido devolvidos pelo invasor, que aparentemente não tinha intenções de realmente fugir com o valor.

A identidade dos hackers é desconhecida, incluindo se um grupo ou indivíduo era o responsável. O invasor foi descrito como um "white hat", jargão do setor para definir um hacker ético, que geralmente visa expor vulnerabilidades cibernéticas de empresas.

A rede também disse que espera que "Mr. White Hat", apelido dado ao hacker, contribua para o desenvolvimento contínuo do setor de blockchain ao aceitar a recompensa.

A declaração não especificou a forma em que o valor seria pago.

A Poly Network afirmou que o hacker respondeu à oferta, mas não disse se ela foi aceita.

Um nome menos conhecido no mundo da criptografia, a Poly Network é uma plataforma de finanças descentralizada (DeFi) que facilita as transações ponto a ponto com foco em permitir que os usuários transfiram ou troquem tokens em diferentes blockchains.

O ainda não identificado hacker parece ter explorado uma vulnerabilidade nos contratos digitais que a Poly Network usa para mover ativos entre diferentes blockchains, de acordo com a empresa forense de blockchain Chainalysis.

Segundo o comunicado de sexta-feira, o hacker devolveu US$ 340 milhões em ativos e transferiu a maior parte do restante para uma carteira digital controlada conjuntamente por ele e a Poly Network.