A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente em parceria com a Associação dos Bananicultores de Corupá (Asbanco) e a Epagri pretendem concluir na semana que vem o levantamento completo dos prejuízos causados pelo temporal  que atingiu o município e região na quarta-feira (26). Até a sexta (28), foram apurados que cerca de 50 mil pés de banana foram danificados pelo vento forte, o que representa um prejuízo aos produtores de cerca de R$ 1 milhão. Mas o prejuízo pode ser bem maior após a conclusão do levantamento, já que o temporal atingiu todo o município, que tem cerca de 650 famílias que cultivam aproximadamente 8 milhões de pés de banana. Segundo o secretário de Desenvolvimento Rural e Meio de Corupá Ambiente, Marcos Martini, há bananicultores que têm financiamento pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro). Os que não têm financiamento  estão sendo levantados por meio de visitas e constatação nas propriedades. A Asbanco também está apurando os dados sobre os produtores afetados e repassando à secretaria. Leia mais: Vendaval causa quedas de árvores em Jaraguá do Sul Leia mais: Quedas de árvores causam transtornos nas rodovias federais de Santa Catarina   O engenheiro agrônomo Lucas Trevisan, da Secretaria de Desenvolvimento Agrícola,  explica que o prejuízo doprodutores de banana com o temporal do dia 26 terá reflexo maior entre os meses de julho e setembro. "Isso por conta do ciclo de produção da banana, já que os pés que foram derrubados pelo vento agora estavam com os cachos em desenvolvimento e estariam prontos para a colheita a partir de julho", completa. Depois de concluído o relatório de perdas  ocasionadas com o temporal, a Secretaria de Desenvolvimento Agrícola em parceria com a Asbanco e Epagri, pretende trabalhar em um projeto para aquisição de mudas de banana para auxiliar os produtores no replantio das plantas perdidas, mas isso também depende de auxílio financeiro governamental para que  o município possa efetivá-lo. Quedas de árvores   A chuva acompanhada de vento forte que ocorreu no fim da madrugada de quarta-feira (26) também causou quedas de árvores, falta de energia elétrica e problemas com a telefonia celular no município.   Algumas casas tiveram parte dos telhados atingidos pelos ventos, mas os próprios moradores efetuaram o reparo. A energia foi recuperada pouco depois do temporal, mas o sistema de telefonia celular voltou a operar normalmente só no dia seguinte.