Fernanda Rosa gastou até ontem R$ 70 com chocolates e outras guloseimas - Fotos: Eduardo Montecino
Fernanda Rosa gastou até ontem R$ 70 com chocolates e outras guloseimas - Fotos: Eduardo Montecino
O doce mais procurado da Páscoa pode até estar com os preços salgados e ter reduzido de tamanho, mas, faltando apenas cinco dias para a Páscoa, a movimentação de consumidores em busca de chocolates se intensifica. Segundo pesquisa da Fecomércio SC e da FCDL/SC divulgada na semana passada, 92% dos consumidores catarinenses pretendem presentear com chocolates e derivados este ano. Criatividade e promoções integram as estratégias para seduzir os compradores.
O presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Jaraguá do Sul, Marcelo Nasato, observa que a entidade trabalhou a Páscoa de forma abrangente, sem foco direcionado ao consumo de chocolates, tanto que a campanha promocional deste ano tem o slogan “Presente na Páscoa também é legal”. A CDL investiu em torno de R$ 8 mil na ação realizada no último sábado (19), que ocorreu nas ruas do Centro e nos bairros Ilha da Figueira, Barra do Rio Cerro, São Luís, Tifa Martins, Vila Lenzi, Água Verde e Rau. “Esperamos que pelo menos as vendas se mantenham como no ano passado, [com crescimento] de 6% a 10%, dependendo do segmento”, estima.
Dados da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados indicam que o consumidor está desembolsando 10% a mais na compra desses produtos do que em 2015. A justificativa é que os custos do cacau e do açúcar estão diretamente ligados às oscilações do dólar.
Pascoa na Havan - em (2)

Visual merchandising Karina de Chaves Abreu mostra um dos produtos mais procurados

Descontos na reta final
O gerente de um supermercado localizado no bairro Jaraguá Esquerdo, Rodrigo Moura, conta que desde o início de fevereiro providenciou o parreiral de ovos de chocolate. Ele revela que a partir de hoje a maioria dos itens entra em promoção. “Os pais sempre dão um jeito de comprar ovos. Acredito que venderemos tudo”, diz.
A analista tributária Fernanda Rosa, 30 anos, saiu ontem com a cesta do supermercado lotada de chocolates e guloseimas. “Uma parte vai para a creche do meu filho Davi, de três anos”, diz, sorrindo. Ela conta que até ontem havia gasto R$ 70 nas compras de Páscoa.
Com uma loja de pronta entrega no bairro Vila Nova, Luzia Xavier da Rosa é conhecida pelos itens que produz com chocolate belga. “Já vendemos 90% do que foi feito. Agora, estamos produzindo por encomenda, para brindes de empresas”, afirma.
Outro que apostou na venda de chocolate artesanal foi o comerciante Venésio Hornburg. “Espero não fugir dos 15% de acréscimo nas vendas que tive na Páscoa do ano passado”, torce.
“Como era esperado, nas últimas semanas, já temos produtos em falta”, assinala a gerente de uma loja de departamentos na Vila Lalau, Juciléia Martins. “Estamos com as vendas mais altas que o ano passado em 6%”, conta.
A autônoma Vanderléia Müller, 37 anos, saiu da loja com R$ 75 em chocolates: “Tenho um filho e uma prima, de nove e oito anos. Achei aqui mais acessível. No ano passado, gastei R$ 100 com o meu filho”, relata.