Atendendo a um requerimento da Mesa Diretora da Câmara Mirim de Jaraguá do Sul, a assessora pedagógica de projetos da Secretaria Municipal de Educação, Zaira Albuquerque Corrêa, participou da sessão mirim desta quarta-feira (29). Ela explicou aos jovens parlamentares o processo de implantação da Educação Financeira nas 30 unidades escolares da Rede Municipal de Ensino que iniciou neste ano.

Zaira ressaltou que a Educação Financeira é um tema contemporâneo que tem sido bastante requisitado nas escolas brasileiras nos últimos anos. Ela esclareceu que a disciplina é uma forma de ensinar a crianças e adolescentes as melhores maneiras de lidar com o dinheiro, sendo responsáveis e conscientes.

A pedagoga também explicou como as aulas são realizadas. Ela conta que as formações são dadas uma vez por semana ou duas vezes a cada 15 dias. Entre os alunos de 1° ao 5° ano, um professor específico ministra a disciplina em parceria com o professor titular de cada turma. Entre os estudantes do 6° ao 9° ano, a matéria é de responsabilidade do professor de matemática.

Entre as habilidades trabalhadas em sala estão o reconhecimento de valores de moedas e cédulas do sistema monetário brasileiro, o estabelecimento de equivalência de valores, resolução e elaboração de problemas financeiros, atividades relacionadas à porcentagem, à ética e à sustentabilidade, cada turma com o grau de complexidade que a sua série exige.

“Educar financeiramente as crianças desde a alfabetização é muito importante para desenvolver a sua capacidade de agir na sociedade de forma crítica, participativa e ética. É importante conciliar o que acontece dentro e fora da escola para operar o mundo financeiro no contexto da vida como um todo”, explicou Zaira.

O vereador mirim João Danilo Heck (EMEB Prof. Gertrudes S. Milbratz) afirmou que ver um projeto desse tipo sendo implantado em Jaraguá do Sul é motivo de muito orgulho. Ele sugeriu que a Educação Financeira que é lecionada no Ensino Médio, nas escolas estaduais, seja focada em ensinar a gerar riqueza e não apenas em economizar o dinheiro. A ideia é que os adolescentes que estão perto de entrar na vida adulta tenham uma orientação para iniciar uma carreira e ter uma vida financeiramente boa.

“Seria algo muito bom para o início de carreira deles, a parte mais importante. Já que, após o Ensino Médio, se você não faz uma faculdade, teoricamente está desempregado. E conseguir uma nova fonte de renda seria muito bom”, salientou João.