A circulação das notas de R$ 200 completa um ano nesta terça-feira (2) com cerca de 80 milhões de cédulas em circulação no país, de um total de 450 milhões de cédulas produzidas. Em valor, são R$ 16 bilhões, de acordo com dados do Banco Central (BC).

Apenas 17,8% das cédulas de R$ 200 estão em circulação. De cada cinco, quatro delas seguem armazenadas no BC, ainda sem uso.

As notas de R$ 200 seguem como uma raridade. Em relação às outras cédulas de real, as de R$ 200 representam 1,03% do total de notas em circulação (7,75 bilhões).

A maioria das notas nas mãos dos brasileiros é de R$ 50, com mais de 2,1 bilhões de cédulas (27%, pouco mais de uma a cada quatro). As de R$ 100 são mais de 1,8 bilhão (23,2%) e em terceiro lugar estão as de R$ 2, com 1,5 bilhão (19,3%).

O BC informou que a circulação de novas cédulas é gradual.

“A entrada em circulação da cédula de R$ 200 assim como aconteceria com qualquer outra nova denominação ocorre de forma gradual e de acordo com a demanda da sociedade. O ritmo de utilização da cédula de 200 reais vem evoluindo em linha com o esperado, e seguirá em emissão ao longo dos próximos exercícios”, disse o BC, em nota.

No lançamento da nova cédula, no ano passado, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, disse que a introdução da nova cédula era fundamental para evitar um eventual desabastecimento do papel-moeda frente ao aumento da demanda por dinheiro em espécie desde o início da pandemia de covid-19.