Passando por um processo de remanejamento e reestruturação, a a Tupy informou que ao fim do mês fechará sua planta de Mauá, interior de São Paulo. O fechamento da planta fabril está previsto para o dia 30.

A empresa alega que os custos operacionais da unidade são maiores que as outras duas unidades em Betim, Minas Gerais e Joinville, Norte Catarinense.

Ao todo são 220 trabalhadores, que receberam a opção de serem transferidos para uma das duas cidades e os que não possuem estabilidade seis meses de convênio médico, três salários nominais e seis meses de vale-compras de R$ 1.200,00. Aos que tem estabilidade não há ainda proposta formalizada.

A assessoria confirma que repassou para todos os colaboradores que ainda atuam na operação a oferta de transferência para as unidades de Minas Gerais e Santa Catarina da Companhia no Brasil.

A Tupy reforça que o sindicato dos metalúrgicos e a empresa estão acompanhando e orientando os colaboradores de forma ainda mais próxima, neste momento de transição.