Uma reportagem do Fantástico neste domingo trouxe ao conhecimento público um caso inusitado - e grave - de desvio de recursos públicos. Na cidade de Dom Pedro de Alcântara (RS), de apenas 2.500 habitantes, cerca de metade do orçamento de R$ 18 milhões previsto para o ano de 2021 foi perdido como resultado das ações do tesoureiro da prefeitura, Simão Justo dos Santos.

Alertas do banco revelaram à prefeitura que Simão Justo dos Santos estava transferindo dinheiro das contas do município para sua conta pessoal em valores que chegavam a R$ 50 mil por operação. Segundo a polícia, ele afirmou que pensou em usar cerca de R$ 8 milhões para recuperar suas perdas no mercado de ações - em suma, tornando pública a sua perda em investimentos privados.

Simão foi encontrado pela reportagem do Fantástico na cidade de Torres (RS), e, sem máscara, não quis falar com os jornalistas. "Meu advogado está sabendo", disse ele sobre as acusações do desvio de R$ 8 milhões de reais. Já seu advogado disse que não irão se pronunciar porque o processo corre em sigilo.

Com menos de 50% do orçamento para o ano disponível, a cidade de Dom Pedro de Alcântara agora enfrenta obras paradas e falta de remédios gratuitos nas farmácias.