O frio está chegando e com ele cresce a procura por destinos turísticos de inverno - segundo o agente de turismo Kilian Sohn Neto, da Cosmos Turismo, a procura por estes destinos está cerca de 50% maior do que estava no ano passado e as vendas cresceram em torno de 25%. "O turismo de inverno começa a aquecer assim que vem o friozinho", comenta.

A temporada também aumenta procura por viagens com a proximidade das férias de julho. A procura vai desde destinos em Santa Catarina até os internacionais. Em Santa Catarina, a procura é primariamente por cidades localizadas na Serra, como Urubici e São Joaquim, assim como hotéis fazenda e alguns destinos termais, como Termas de Gravatal. "

"As pessoas estão procurando aconchego, pousadas, hotéis fazenda, banhos termais, este tipo de coisa", explica Kilian.

A alta do dólar - que ultrapassou a marca dos R$ 3,70 na última semana - aumentou a busca por destinos nacionais, como o Vale dos Vinhedos e a Serra Gaúcha. "Os destinos internos voltaram ao destaque,mas quem já tinha o hábito e se preparado para viagens internacionais não deve mudar o destino", explica, destacando que quem está preparando viagens ao exterior agora tem tendido mais a destinos na América Latina, como resorts de esqui em Bariloche e destinos como Vale Nevado e Uchuaia.

O agente de turismo dá algumas dicas para quem está planejando viajar nas férias de inverno. "Sempre se programe com antecedência e pesquise seu destino para encontrar os melhores preços. É bom fugir dos feriados, que tem mais procura e por tanto preços mais elevados, e aproveitar a facilidade hoje dos pagamentos parcelados", explica. Segundo ele, os turistas tem se preparado em média com dois a três meses de antecedência.

Fugindo para o calor

Nem toda a procura tem sido por destinos de inverno, ressalta o agente. "Também tem gente que procura destinos mais quentes, para fugir do frio, como o nordeste", diz. A alta do dólar também tem favorecido destinos nacionais, como os resorts turísticos no Nordeste. "Outro grupo de destinos com procura alta são destinos tropicais na América Latina, como Bogotá e Cartagena", conta.

Cartagena é um dos locais procurados na América Latina | Foto Reg Natarajan/Divulgação
Cartagena é um dos locais procurados na América Latina | Foto Reg Natarajan/Divulgação

Outra opção internacional, que exige maior investimento financeiro - e portanto, mais tempo de preparo - são roteiros que incluem a América Central, o México e o Caribe.

"A alta do dólar tornou os tradicionais destinos nos EUA e na Europa menos atraentes, embora quem já tinha esse costume e já estava preparado deve manter os planos, o que é possibilitado por sermos uma cidade mais economicamente aquecida", explica.

Região conta com destinos próximos

Para quem  não tem muito tempo para um destino mais distante ou uma viagem mais longa, o Norte catarinense conta com boas opções de destinos a menos de uma hora de viagem em Jaraguá do Sul. No próprio Vale do Itapocu, há uma gama de hotéis fazenda e de opções de turismo ecológico, para quem quer uma alternativa com mais exercício, na região rural dos municípios.

A meros 79,6 km de distância de Jaraguá do Sul, Campo Alegre é conhecida como o Paraíso da Serra, onde se destacam antigos casarões, produtos coloniais, artesanato e comida caseira em fogão à lenha. A cidade oferece uma gama de alternativas de turismo colonial e ambiental, com opções de esportes radicais, trilhas e montanhismo para o turista mais ativo.

Cabanas em meio ao verde atraem turistas a Rio dos Cedros | Foto Vale dos Ventos/Divulgação
Cabanas em meio ao verde atraem turistas a Rio dos Cedros | Foto Vale dos Ventos/Divulgação

Há cerca de 55 quilômetros e no limite com a cidade, na região de Garibaldi, Rio dos Cedros também desponta como opção para quem quer se aproximar das baixas temperaturas. Ar fresco das montanhas, rios, cachoeiras, lagos, pássaros e animais silvestres embelezam o município. Hotéis, pousadas e cabanas são opção para turismo.

Para quem busca alternativas  mais próximas de centros urbanos, o roteiro do chamado Vale Europeu começa em Blumenau, uma viagem de 65 quilômetros. O foco aqui também é o histórico, focando em arquitetura típica, culinária, além de roteiros de compras pelas cidades-polo da indústria têxtil catarinense.