Apesar da aposentadoria do mais famoso avião civil supersônico, o anglo-francês Concorde, a licitação em aberto para o novo avião presidencial dos EUA - substituindo o antigo Boeing 747-200 VC-25
servindo como o Air Force One - prevê a retomada dos supersônicos, e três empresas já estão no páreo para o desenvolvimento do novo jato, ainda sem data para substituir o Jumbo.

As informações são da revista Exame.

Uma delas é a californiana Exosonic, na qual foi injetado 1 milhão de dólares (5,6 milhões de reais na conversão atual) para a construção de um jato capaz de voar a Mach 1,8.

Ou seja, quase 2.222 km/h e duas vezes velocidades do som, perdendo por pouco do veterano Concorde de 1976.

A empresa promete entregar o modelo até meados da década de 2030.

A empresa pretende também resolver o problema do "sonic boom", o estrondo supersônico quando a aeronave rompe a barreira do som - e que proibia aviões de passarem dos 1.261 km/h dentro do continente americano.

Para conquistar o contrato da Força Aérea dos Estados Unidos, a empresa reduziu a capacidade de 70 passageiros para apenas 31 viajantes na configuração presidencial.

Por outro lado, há suítes privativas, salas de reunião e acabamento luxuoso com revestimento de couro, carvalho e quartzo.

Projeto da Boom Sonic tem visual mais próximo do finado ConcordeFoto Divulgação

Outra companhia que concorre ao hangar presidencial nos Estados Unidos é a Boom Supersonic, que já criou o protótipo XB-1 para o processo de validação do Overture.

De acordo com a empresa sediada na cidade de Denver, o primeiro voo está previsto para 2025, com certificação para 2027.

Com visual mais “tradicional”, o Overture tem capacidade para até 88 passageiros na opção para voo comercial e 45 pessoas na versão que disputa a posição de Air Force One.

Já a velocidade é de Mach 2,2 (2.695 km/h) para ir de Nova York até Londres em 3h30.

Projeto da Hermeus superaria a velocidade do atual detentor do título de avião mais rápido do mundo.Foto: DIvulgação

A terceira competidora no pleito é a Hermeus Corporation, apostando na velocidade pura: até Mach 5.

Isso significa que a aeronave pode voar a 6.125 km/h, o que significa que dá para cumprir o trajeto entre a capital inglesa e a “Big Apple” em 1h30 (é o tempo de São Paulo a Vitória).

A velocidade é superior a do aposentado SR-71 Blackbird, capaz de alcançar velocidades de até Mach 3.3.

O avião de reconhecimento estratégico foi retirado de uso em 1988, devido à políticas internas do pentágono e finalmente aposentado de vez em 1998, dando lugar a drones de reconhecimento remoto.

O propulsor já foi posto em teste há mais de um ano e comprovou o funcionamento do sistema.

E se por enquanto não há confirmação de quando o projeto estará pronto, a previsão é de que a produção só ocorra em uma década.