A revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios (PEGN) divulgou, nesta terça-feira (6), a edição deste ano da lista 100 Startups to Watch, que elege anualmente os negócios mais promissores do ecossistema de inovação brasileiro. Entre as empresas apontadas pela publicação está a UpFlux, que traz a mineração de dados para gestão de saúde e está incubada no Novale Hub – Centro de Inovação Jaraguá do Sul.

Instalada no Centro de Inovação dentro do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) JaraguaTec, a UpFlux foi a primeira plataforma a trabalhar com Process Mining no Brasil. Traduzida como “mineração de processos”, a técnica que tem como principal objetivo descobrir, monitorar e melhorar processos reais, extraindo conhecimento de dados disponíveis nos softwares empresariais. Hoje suas soluções são aplicadas em hospitais, clínicas, laboratórios, centros oncológicos, operadoras de planos de saúde, centros de serviços compartilhados, indústrias e instituições financeiras.

As 100 empresas foram selecionadas entre as mais de 1800 inscrições, sendo avaliadas em diversos aspectos como grau de inovação, potencial de mercado, negócio, equipe e maturidade da solução. De acordo com a PEGN, o mercado de startups vem em curva ascendente, mesmo com as reduções recentes de aportes de investidores e demissões em empresas de todos os tamanhos. Em 2021, cerca de US$ 9 bilhões foram captados por startups, um recorde histórico.

A previsão de analistas é que o próximo ciclo de investimentos volte aos patamares que já eram vistos antes da pandemia de Covid-19. “Tivemos nos últimos três anos rodadas gigantescas para poucas empresas. Sem as megarrodadas, os valuations estão retornando para as médias históricas. Isso é bom, dá mais sustentabilidade para a cadeia. Depois do excesso de capital, estamos voltando a ter equilíbrio”, avalia Maria Rita Spina Bueno, membro do conselho da Anjos do Brasil, também à PEGN.