Até o final de 2019, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo (SDS), pretende entregar mais sete Centros de Inovação. Serão 13 unidades, dentre edificações e investimentos em infraestruturas e ecossistemas locais já existentes.

O propósito é transformar os Centros em HUBs de inovação e elos de articulação das especialidades, complexidades e dinamismos de cada região.

Com dois Centros já inaugurados e sete em fase avançada de construção, os esforços do Governo agora estão voltados para apoiar os municípios na alavancagem dessas Unidades.

Estratégias apresentadas pelo grupo vão convergir com o Plano de Desenvolvimento para a Rede de Centros de Inovação | Foto Divulgação

Com base no modelo de gestão já delineado, neste momento, um grupo de trabalho está selecionando ações prioritárias para impulsionar os ecossistemas locais de empreendedorismo e inovação em 2019, tais como programas de pré-incubação de negócios, formação de empreendedores e gestão de ambientes de inovação, bem como modelo de operação dos One Stop Shop, dentre outras inúmeras ações discutidas, que funcionarão como um poupa tempo do empreendedor. O tema foi pauta de um encontro que aconteceu na SDS.

Para o Secretário Adjunto da SDS, Amandio Júnior, o propósito do encontro foi estabelecer uma aproximação com alguns atores que já dispõem de programas de empreendedorismo e inovação consolidados e com alta capilaridade no Estado:

“Constituímos um grupo de trabalho, e no decorrer da caminhada certamente contaremos com novos integrantes, para estabelecermos uma agenda e um macro modelo de governança dos Centros de Inovação”, salientou Amandio Júnior.

Para o Sebrae, esta é uma oportunidade ímpar de uma visão comum e trabalho conjunto: “Vamos unir forças para animar esses habitats de inovação. Temos que transformar SC num estado de inovação e mostrar para o mundo a estrutura e potencial do nosso ecossistema”, ratificou Carlos Henrique Ramos da Fonseca, Presidente do Sebrae.

A ideia é não replicar esforços, mas valorizar o que já existe: “É como se disponibilizássemos um ‘combo’ de ações e estratégias, dentro de uma metodologia, com indicadores, para ativar os Centros e seus ecossistemas local”, destacou o Secretário da SDS, Lucas Esmeraldino.

As estratégias apresentadas pelo grupo, nesta reunião inicial, vão convergir com o Plano de Desenvolvimento para a Rede de Centros de Inovação para 2019 da própria SDS, que já vem sendo trabalhado, como o ‘coração’ da operação dos Centros.

Neste primeiro encontro, dentre os consensos, também está a convicção dos presentes sobre a escolha da inovação como uma política pública fundamental para o desenvolvimento do Estado.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?