Os primeiros seis meses deste ano apontaram crescimento no número de empresas registradas no Estado, segundo dados do Registro Mercantil da Junta Comercial de Santa Catarina (JUCESC). A alta foi de 47,63% em novos negócios, com 74.837 registros de janeiro a junho de 2021, contra 50.689 no mesmo período do ano passado. Os números refletem o desenvolvimento da economia catarinense, mesmo diante de um cenário pandêmico.

"Esse percentual mostra a força da retomada econômica em Santa Catarina. Em 2020, em plena pandemia, houve crescimento de 10,32% em relação a 2019. Ou seja, expansão em cima de um ano teoricamente normal. Por isso, esse novo aumento de quase 50% só reforça que a retomada tende a superar qualquer expectativa otimista", avaliou o governador Carlos Moisés.

O saldo de novas empresas representa a diferença entre as constituições e as baixas. Foram 107.268 empreendimentos constituídos e 32.431 extintos em Santa Catarina no primeiro semestre de 2021. No ano passado, houve a inclusão de 76.690 novos CNPJs no sistema da Junta Comercial e 26.001 que deixaram de existir. Já em 2019, o Estado apresentou 73.071 novos registros, contra 27.617 baixas. O que mostra que, mesmo diante da pandemia, os meses de janeiro a junho de 2020 e de 2021 apresentaram um crescimento de 10,32% e 64,64%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2019.

Só em junho deste ano, o saldo de novos negócios foi de 12.283 no estado. Um crescimento de 2,48% em relação a maio, que também apresentou o resultado de mais 11.985 empresas no sistema da Junta, se analisadas as constituídas e extintas. Nos últimos 12 meses, o estado catarinense registrou um saldo de 149.223 empreendimentos.

No mês de junho, o estado de Santa Catarina apresentou o terceiro melhor tempo médio de registro, entre todos os estados do país, com 14 horas e 09 minutos.

O tempo médio de registro leva em consideração o tempo de análise do processo na Junta Comercial, desde a sua disponibilização para análise, até o seu deferimento. Este tempo médio não exclui o tempo em que o processo fica em Exigência, aguardando correção por parte do usuário ou requerente.

Dentre o saldo das novas empresas constituídas em Santa Catarina de janeiro a junho, 70.948 são microempresas, ou seja, faturam até R$ 360 mil por ano; 2.153 são empresas de pequeno porte, que trabalham com o faturamento de até R$ 4,8 milhões. O saldo entre os dez municípios que mais abriram empresas no primeiro semestre de 2021 corresponde a 49,55% do total de empresas abertas neste período, om base na comparação entre constituídas e extintas. No ranking por cidades, Florianópolis lidera os novos negócios (8.083); vêm em seguida Joinville (6.604), Blumenau (4.332), Itajaí (3.825), São José (3.256), Palhoça (3947), Chapecó (2.336), Balneário Camboriú (2.319), Criciúma (2.052) e Jaraguá do Sul (2.192).

Por atividade econômica, o comércio segue puxando as aberturas, com um saldo de 16.397. Seguido pela indústria de transformação (9.225); construção civil (8.330); atividades profissionais, científicas e técnicas (6.093); outras atividades de serviços (6.054); alojamento e alimentação (5.247); transporte, armazenagem e correio (5.500); atividades administrativas e serviços complementares (5.488); educação (3.237); informação e comunicação (2.322); entre outras.

Com relação à natureza jurídic, o microempreendedor individual – MEI responde nos primeiros seis meses por uma parcela de 80,54% do saldo das empresas ativas em Santa Catarina (60.277). Na sequência, vêm a sociedade empresária limitada - LTDA (14.375); empresário individual de responsabilidade limitada – Eireli (637); e sociedade anônima (202).