Apesar dos impactos causados pela pandemia de Covid-19, Santa Catarina tem o maior saldo de empregos no acumulado do ano no país, com 35.210 novos postos formais de trabalho entre janeiro e outubro de 2020.

Somente no mês passado, de acordo com informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o Estado registrou saldo positivo de 32.911 novas vagas.

“Santa Catarina demonstra força no processo de retomada econômica. O desempenho positivo é fruto da parceria entre o Governo do Estado e o setor produtivo”, ressaltou o governador Carlos Moisés.

"Desde o início da pandemia, trabalhamos com planejamento e união de esforços, ouvindo e debatendo as ações nas reuniões regulares do Núcleo Econômico. Atuamos para encontrar o equilíbrio entre saúde, com atendimento a todos os pacientes da Covid-19, e economia”, completou.

Caged em Jaraguá

Em Jaraguá do Sul, o Caged registrou saldo positivo pelo quarto mês consecutivo na geração de empregos, com geração de 624 postos de trabalho formais no mês, após 3.056 admissões e 2.432 desligamentos.

O resultado é semelhante ao registrado em setembro, com 663 empregos formais no mês, e retoma o saldo positivo para o ano, encerrando o período de dez meses com geração positiva de 405 postos de trabalho com carteira assinada.

Nacionalmente, foram abertas 394.989 vagas com carteira assinada no mês, resultado de 1.548.628 admissões e de 1.153.639 desligamentos, o melhor resultado da série histórica, segundo o Ministério da Economia.

No acumulado do ano, 2020 segue ainda com saldo negativo de 171.139 postos de trabalho decorrentes de 12.231.462 admissões e de 12.402.601 desligamentos.

Parceria com empresas

O secretário de Estado da Fazenda (SEF), Paulo Eli, destacou o trabalho realizado em parceria com as entidades empresariais e demais agentes como determinante na tomada de decisões. Em março, tão logo foi registrada a disseminação do vírus no Estado, iniciaram as reuniões do Núcleo Econômico.

O grupo é formado pelo Governo do Estado e setor produtivo, incluindo as Federações das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), das Associações de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedor Individual (Fampesc), das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC), das Empresas de Transporte de Carga do Estado de Santa Catarina (Fetrancesc), do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio/SC), de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Fhoresc), da Agricultura e Pecuária (Faesc), das Cooperativas Agropecuárias (Fecoagro), dos Municípios (Fecam), além de membros da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), Ministério Público (MPSC), Ministério Público do Trabalho (MPT), entre outros órgãos.

Eli ressaltou que, apesar do saldo positivo na geração de empregos e da alta na arrecadação pelo quarto mês consecutivo, ainda há muitos setores impactados pela pandemia, entre os quais o de serviços, hotelaria, restaurantes, lazer e de eventos.

“Ainda temos muito trabalho pela frente para que Santa Catarina consiga se estabilizar em todos os segmentos. Os dados do Caged apontaram que todos os setores da economia catarinense contrataram mais do que demitiram em outubro, isso mostra que estamos no caminho certo”, concluiu.

No mês passado, o setor de serviços registrou o melhor desempenho com 12.128 novas vagas, seguido pela indústria, que atingiu saldo positivo de 11.256.

Já no acumulado do ano, a indústria lidera a expansão de postos de trabalho, com saldo de 28.488 novas vagas, 28,15% do total do setor.

Com informações da assessoria de comunicação do governo do Estado de Santa Catarina

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul