No segundo trimestre deste ano, Santa Catarina se manteve com a menor taxa de desocupação entre todas as unidades federativas brasileiras. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) Trimestral, promovida pelo IBGE, o índice de desemprego entre os catarinenses ficou em 6%, o que corresponde a metade do registrado em todo o país (12%).

Em relação aos três primeiros meses de 2019, a taxa de desemprego no estado apresentou uma queda de 1,2%. Na sequência da lista com os menores índices de desocupação, aparecem Rondônia (6,7%) e Rio Grande do Sul (8,2%). As maiores taxas foram observadas na Bahia (17,3%), Amapá (16,9%) e Pernambuco (16%).

Santa Catarina também possui os percentuais mais baixos no que diz respeito à subutilização da força de trabalho, quando os trabalhadores rendem menos horas do que gostariam e teriam disponibilidade, com 10,7%; e de pessoas desalentadas, que desistiram de procurar um trabalho, com apenas 0,9%.

No período, os catarinenses foram os que registraram a maior taxa de profissionais com carteira de trabalho assinada no setor privado no Brasil, com um total de 87,6%. Você pode acessar a pesquisa completa aqui.

Quer receber as notícias no WhatsApp?