Com um desempenho positivo e avanços representativos nas vendas dos últimos meses, o comércio catarinense fechou o primeiro semestre do ano com um crescimento de 13% frente ao mesmo período do ano passado. Como resultado, Santa Catarina obteve o maior aumento em volume de vendas do país, liderando o desempenho positivo do varejo brasileiro – o segundo melhor resultado, para efeito de comparação, foi no estado do Alagoas, com incremento de 7,2% nas vendas, quase a metade do registrado no comércio catarinense. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgados esta semana pelo IBGE. Desde novembro do ano passado, o comércio apresenta avanços relevantes em Santa Catarina, com oito altas consecutivas no volume de vendas. O melhor resultado foi registrado em abril deste ano, quando o incremento chegou a 20% na comparação com o mesmo mês do ano passado, indica o IBGE. Em junho, dado mais recente da pesquisa, o crescimento foi de 12,7% No mesmo mês, o desempenho do comércio varejista em todo o Brasil alcançou aumento de 3% nas vendas. Na análise nacional do setor, o resultado para o semestre é considerável estável, com variação de -0,1% frente ao ano passado. Já no acumulado dos últimos 12 meses o cenário é de queda de 3%. De acordo com o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, os avanços observados em Santa Catarina estão diretamente relacionados à consolidação do mercado interno e o início da retomada do crédito e da renda no Estado. Dados do Ministério do Trabalho mostram, por exemplo, que entre janeiro e julho deste ano o mercado catarinense criou mais de 21,3 mil vagas de emprego formal, ocupando a sexta posição no ranking dos estados que mais geraram emprego no período. “A base de comparação é baixa, porque o setor estava em uma situação crítica em 2016, mas os resultados trazem alívio” declarou o empresário, por meio da assessoria de imprensa da Fecomércio SC. No primeiro semestre do ano passado, o comércio varejista de SC registrou queda de 8,7% nas vendas, frente ao ano anterior. Segundo ele, o fato de o estado de Alagoas, segundo com o maior volume de vendas, ter alcançado quase metade do desempenho de SC reforça o fato de que o Estado está em uma rota de crescimento sustentado. RESULTADOS APROXIMAM VAREJO DE ANOS ANTERIORES, DIZ CDL No resultado por segmento, o melhor desempenho em SC ficou a cargo dos equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, com incremento de 41,9% nas vendas no primeiro semestre deste ano, na comparação anual. Na sequência estão os hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com crescimento de 24,8%. A queda mais expressiva, por sua vez, foi no segmento de móveis: -25,9%. Segundo avaliação do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Jaraguá do Sul, Gabriel Seifert, os índices alcançados pelo estado este ano ajudam a aproximar o varejo catarinense dos números registrados em anos anteriores, ou seja, é um momento de recuperação depois de um período prolongado de quedas. “A recuperação nunca é tão rápida quanto foi a queda, mas o otimismo está maior e os índices estão retornando ao patamar esperado”, diz ele. Uma pesquisa da Fecomércio SC aponta que em julho a confiança do empresário do comércio cresceu 9%, frente ao ano passado. “Santa Catarina é um estado muito empreendedor e que possui certos atrativos que estimulam a vinda de investimentos”, opina Seifert. O presidente da CDL acredita que a região de Jaraguá tem conseguido evoluir nos resultados, apesar de não tão significativamente quanto o observado no estado, e que tais avanços também se devem, em boa parte, pela capacidade do próprio consumidor em se organizar e controlar a própria renda. “Temos uma renda per capta elevada e níveis de educação muito bons, tudo isso resulta em um planejamento financeiro maior nas famílias, que sabem melhor quando podem e como podem gastar”, salienta.