As federações empresariais, as centrais sindicais e federações de trabalhadores de Santa Catarina chegaram a um consenso para atualizar o mínimo regional para 2021, com ajuste médio de 5,45%, em linha com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Os pisos acordados para as quatro faixas foram de R$ 1.281,00, R$ 1.329,00, R$ 1.404,00 e R$ 1.467,00.

Os novos valores foram acordados durante reunião na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), nesta quarta-feira (20), em Florianópolis. A assinatura formal da negociação será feita nesta quinta-feira (21).

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, destacou a relação harmoniosa entre os representantes dos trabalhadores e do setor produtivo.

“Pelo décimo primeiro ano consecutivo realizamos a negociação e com muito diálogo construímos um acordo e chegamos a um resultado de consenso, apesar do momento desafiador”, afirmou.

“Dos cinco estados que têm o piso regional regulamentado, apenas em Santa Catarina as legítimas partes, efetivamente, negociam o estabelecimento dos valores. Então, em que pese os desafios e a insegurança que a pandemia trouxe para a economia, a exemplo de anos anteriores, conseguimos chegar a um consenso”, disse o presidente da Câmara de Relações Trabalhistas da Fiesc, Durval Marcatto Júnior.

“A dificuldade que nós tivemos na negociação deste ano foi o INPC, que fechou o mês de dezembro de 2020 em alta. O acumulado de janeiro a dezembro de 2020 ficou em 5,45%”, disse o representante dos trabalhadores, Ivo Castanheira, diretor da Federação dos Trabalhadores no Comércio (Fecesc).

Ele acrescentou que, considerando as negociações coletivas de trabalho de dezembro e o cenário econômico, o resultado é razoável e que, por isso, era importante fechar o acordo nestas condições.

Entre os representados na negociação estiveram pelo lado empregador: Fiesc (Federação das Indústrias de SC); Faesc (Federação da Agricultura); Fecomércio (Federação do Comércio), Fetrancesc (Federação das Empresas de Transportes de Cargas) e Federação dos Hospitais (Fehoesc). Entre os representantes dos trabalhadores estiveram: Fecesc, Fetiesc Fetiasc, Força Sindical, Nova Central dos Trabalhadores, UGT, CUT, Feteasc e Dieese.