O projeto de revitalização da Cidadela Cultural Antártica deve custar em torno de R$ 40 milhões, valor ainda a ser finalizado com a elaboração final do projeto, segundo informações do colunista Jefferson Saavedra, da NSC.

O montante vem sendo abordado pelo prefeito Adriano Silva, e fez parte das discussões com o governo do Estado nesta semana. Ainda há a possibilidade de pedir recursos também ao governo Federal.

A prioridade no momento é a contratação do projeto, com custo estimado em R$ 1 milhão. A revitalização se tornou mais urgente com o incêndio em março de um dos prédios da cidadela.

Após o episódio, o Ministério Público de Santa Catarina apresentou ação judicial cobrando a restauração e preservação do espaço.

O MP quer também um plano para utilização como complexo de cultura, lazer e turismo. A ação está em análise na Justiça, sem decisão ainda.

Em 2017, o custo estimado era de R$ 30 milhões. O espaço foi comprado pela prefeitura em 2001 e desde então passou por várias propostas, muitas das quais não saíram do papel. Entre as poucas a ser posta em prática é o atual Parque das Águas, revitalizado e integrado ao complexo no atual governo.

Entre as propostas que surgiram nas duas décadas estão teatros, integração com o vizinho Museu de Arte, cinemateca, Museu da Cerveja, área de eventos e feiras - tudo sem sair do papel.

O atual governo municipal pretende buscar parcerias com a iniciativa privada para retomar a utilização do complexo.