Resultados econômicos de Santa Catarina são destaque em encontro de lideranças empresariais na Fiesc

Secretário Cleverson Siewert (Fazenda) apontou economia de cerca de R$ 1 bilhão nas despesas durante o primeiro ano de gestão do governador Jorginho Mello e destacou que não houve aumento de impostos. Fotos: Ricardo Trida/Secom

Por: Pedro Leal

22/03/2024 - 17:03 - Atualizada em: 22/03/2024 - 17:30

Os avanços promovidos pelo modelo de gestão do governador Jorginho Mello, as ações já implementadas, o panorama das contas públicas e as perspectivas para os próximos meses de 2024 ganharam as atenções de lideranças industriais de todo o estado nesta sexta-feira, 22, em Florianópolis.

Convidado a palestrar na reunião de diretoria da Fiesc, o secretário Cleverson Siewert (Fazenda) apresentou dados da situação econômica de Santa Catarina, com destaque para os resultados alcançados a partir do Plano de Ajuste Fiscal (Pafisc), lançado em março do ano passado.

Ao detalhar medidas adotadas para incrementar receitas, reduzir despesas e diminuir a burocracia, Siewert apontou que SC alcançou um resultado histórico no último ano: foi a primeira vez, em pelo menos duas décadas, que os gastos do Executivo caíram de um ano para o outro. Houve redução percentual de 2,7% nas despesas em 2023, o que representa cerca de R$ 1 bilhão em economia aos cofres públicos catarinenses.

“Mesmo durante a Covid-19 as despesas cresceram. Apesar do lockdown e da meta federal de não aumento de salário dos funcionários públicos, os gastos não caíram naquele período. Sob a liderança do governador Jorginho Mello, com a estratégia estabelecida e com todos seguindo a mesma lógica, nós conseguimos fazer com que os gastos caíssem. São resultados que merecem ser celebrados”, apontou.

Em uma mensagem de incentivo aos empresários, o secretário Cleverson Siewert reforçou a disposição do Governo do Estado em contar com a parceria do setor produtivo. E lembrou que, na contramão da tendência nacional, o governador Jorginho Mello assumiu o compromisso e manteve sua decisão de não aumentar impostos.

“Isto foi um marco não só para Santa Catarina, mas para o Brasil como um todo. O governador quer desburocratizar, simplificar e diminuir a carga tributária porque é com isso que vamos fazer o Estado evoluir”, destacou.

Reconhecimento

Em reconhecimento aos resultados econômicos alcançados, o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, cumprimentou o Governo do Estado pelo rigor na gestão das contas públicas. “Essa é uma grande cobrança da sociedade. Há um consenso, baseado na realidade, de que se gasta muito no Poder Público e se cobra muito de quem está produzindo. Mas, felizmente, a visão do governador e do secretário é de economicidade das contas públicas e aumento nos investimentos. Temos que aplaudir pela condução da economia e gestão do Estado catarinense”, manifestou.

Estiveram presentes no encontro a secretária Danieli Porporatti (Governador), o secretário João Paulo Gomes Vieira (Comunicação) e o secretário-adjunto Lucas Amancio (Planejamento). Participaram também o procurador-geral Márcio Vicari, o procurador-geral adjunto André Uba e os presidentes da SCPar, Renato Lacerda, e da Fapesc, Fábio Wagner Pinto. O consultor executivo da Fazenda, Julio Cesar Marcellino Jr, acompanhou a programação.