As restrições à Covid-19 na China podem reduzir a a produção de iPhones em até 30% no próximo mês, segundo informou a agência Reuters.

Em Zhengzhou, uma fábrica da Foxconn que fabrica iPhones e emprega cerca de 200 mil pessoas foi afetada pelo descontentamento com as medidas rigorosas para conter a propagação da doença.

Vários funcionários fugiram da instalação, levando cidades próximas a elaborar planos para isolar trabalhadores imigrantes que retornam para suas cidades de origem.

A Foxconn informou, nesse domingo, que está controlando a situação na fábrica de Zhengzhou e coordenará a produção reserva com outras fábricas para reduzir qualquer impacto potencial.

O aumento do número de casos em toda a China levou a um aperto nas restrições e lockdowns locais, inclusive em partes de cidades como a metrópole de Guangzhou, no Sul, à medida que o custo econômico da política de Covid-zero aumenta.

Dados divulgados nesta segunda-feira mostraram que a atividade fabril chinesa caiu inesperadamente em outubro, prejudicada pela desaceleração da demanda global e restrições domésticas rígidas da Covid-19, que afetaram a produção, viagens e transportes na segunda maior economia do mundo