A perspectiva de vitória do democrata Joe Biden na corrida presidencial dos EUA levou o dólar a operar em queda nesta quarta-feira e abrir a quinta-feira em baixa, demonstrando uma reação positiva dos mercados e menor concentração da moeda americana como ativo financeiro.

Às 9h52, a moeda norte-americana era vendida a R$ 5,5825, em queda de 1,27%. Na mínima até o momento chegou a R$ 5,5780.

Na quarta-feira, o dólar fechou em queda de 1,86%, a R$ 5,6543 - o menor valor desde 26 de outubro.

A moeda americana registra ainda uma alta de 41,01% no ano, mas em apenas cinco dias, o mês já registra uma queda de 1,46%.

Com dólar em queda, mercados internacionais ganham força e a divisa americana se torna mais atraente como moeda de troca e recurso para investimento em capital direto; em alta, se torna ativo financeiro e mais atraente como recurso especulativo.

A retração da moeda americana estimula investimentos diretos e deve beneficiar importadoras, enquanto exportadoras devem se beneficiar com aumento no volume de vendas - embora percam nas vendas individuais.

O dólar turismo, por sua vez, fechou a R$ 5,9294, abaixo de R$ 6 pela primeira vez em uma semana.

As atenções dos investidores seguem voltadas para a definição do resultado das eleições nos Estados Unidos.

Se vencer em Nevada, o candidato democrata Joe Biden terá votos suficientes no Colégio Eleitoral para ser eleito o 46º presidente dos EUA.

Já o atual presidente Donald Trump precisa virar o resultado em Nevada e conquistar os estados da Carolina do Norte, Geórgia e Pensilvânia para garantir a eleição.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul