Somente nos dois primeiros meses do ano, Blumenau movimentou mais de US$ 136 milhões no comércio exterior: foram US$ 58,29 milhões em exportações, entrando para os cofres de empresas no município, e US$ 78,02 milhões que saíram de Blumenau para o mundo.

No ano passado, foram US$ 391,66 milhões em exportações - o 6º maior valor do estado - e US$ 415,64 milhões em importações.  Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

Mas o que entra e o que sai de Blumenau? Para onde vai? De onde vem? O município mantém um perfil importador, consistentemente deficitário na balança comercial: o ano passado fechou com US$ 23,98 milhões em déficit, enquanto os dois primeiros meses deste ano registram déficit de US$ 19,03 milhões.

Tabaco lidera exportação

O setor tabagista lidera tranquilamente as exportações de Blumenau: 69% das exportações, em US$ 40,25 milhões, foram compostas por tabaco não manufaturado.

O setor é seguido por maquinário elétrico, com US$ 8,17 milhões, vestuário, com US$ 4,93 milhões, partes de veículos, com US$ 2,23 milhões, e colchões, com peso de US$ 800,23 mil.

Indústria têxtil na frente das importações

Mais de um terço das importações blumenauenses são compostas por material têxtil e vestuário: são US$ 29,66 milhões em importações do setor, que é seguido pelo maquinário, com US$ 15,26 milhões - setor este puxado por máquinas de costura, que respondem por US$ 3,29 milhões das importações.

A metalurgia ocupa o terceiro lugar entre os setores produtivos, com US$ 7,85 milhões em importações no período, seguido por plásticos, com US$ 7,77 milhões, e o setor ótico, com US$ 5,82 milhões.

Europa lidera destinos

Quase metade das exportações de Blumenau, no total de US$ 27,78 milhões, são destinadas à países do bloco europeu, liderados pela Bélgica, que sozinha responde por 17% das exportações do município.

A América do Sul vem em seguida, com US$ 11,16 milhões, seguida pela Ásia, com US$ 8,75 milhões, a América do Norte, com US$ 5,32 milhões, e a África, com US$ 2,1 milhões.

Principal fonte

Como em grande parte do país, o bloco asiático - em particular a China, que responde por 46% do volume - lidera nas importações blumenauenses: só nos dois primeiros meses deste ano, foram US$ 56,84 milhões em produtos do bloco.

O município também importa volumes consideráveis da Europa, somando US$ 13,01 milhões. Outros blocos são menos expressivos: América do Sul responde por US$ 3,89 milhões, acompanhada de perto da América do Norte, com US$ 3,44 milhões.

O quinto maior fornecedor de produtos para o município é o Oriente Médio, com US$ 710 mil.

Os produtos mais exportados

  1. Tabaco não manufaturado - 69%
  2. Transformadores Elétricos - 5%
  3. Painéis, quadros e consoles para aparelhos elétricos - 4,1%
  4. Partes e acessórios para veículos - 3,6%
  5. Roupas de cama, mesa, toucador ou cozinha - 2,5%

Os produtos mais importados

  1. Fibras sintéticas descontinuadas - 6,3%
  2. Fios de filamentos sintéticos - 4,8%
  3. Máquinas de costura - 4,2%
  4. Aparelhos de raio-x - 4%
  5. Produtos laminados planos de outras ligas de aço - 3,2%

Principais países de exportação

  1. Bélgica - 17%
  2. Turquia - 7,2%
  3. EUA - 7,1%
  4. Rússia - 7,1%
  5. Romênia - 4,6%

Principais países de importação

  1. China - 46%
  2. Japão - 6,2%
  3. Índia - 5,9%
  4. Alemanha - 5,3%
  5. Coréia do Sul - 3,9%

Quer receber as notícias no WhatsApp?