Com uma cobertura satisfatória de tratamento de esgoto na área urbana, Jaraguá do Sul deve ficar ainda mais próxima do objetivo de cobrir 100% do município com o sistema até 2020. Na manhã de segunda-feira (27), a Secretaria de Desenvolvimento Rural assinou um convênio com o Fundo Estadual e Recursos Hídricos para o repasse de R$ 300 mil. O valor será utilizado para a compra de 180 kits de sistema hidrossanitário, que contam com uma caixa de gordura, fossa séptica e filtro anaeróbio. Eles serão distribuídos gratuitamente para os produtores rurais cadastrados na secretaria pelo Projeto de Saneamento em Área Rural (Sanear). De acordo com o responsável pela pasta de Desenvolvimento Rural, Daniel Peach, 50 agricultores já estão inscritos. A distribuição deve ocorrer apenas no ano que vem, mas a escolha da fornecedora dos produtos será feita ainda neste ano. Conforme Peach, a vencedora da licitação também será responsável por capacitar os contemplados para efetuar a manutenção do kit. A instalação ficará por conta do produtor. “O custo é baixo, eles podem solicitar uma hora de uso da retroescavadeira da secretaria, por exemplo, que está avaliada em R$ 60”, comenta Peach. O objetivo é dar continuidade no projeto nos próximos anos. O secretário enfatiza que a proposta foi apresentada após um levantamento da secretaria apontando o baixo índice de saneamento básico entre as propriedades rurais. “Nem 50% delas contam o sistema atualmente”, relata o secretário. Peach ainda observa que o número de residências na zona rural vem crescendo e que a maioria delas conta com a criação de animais. “Muitos desses locais não têm esterqueiras ou elas não são adequadas. Com isso, os animais acabam sendo mais poluentes para o meio ambiente”, avalia. O intuito do Sanear é apresentar uma alternativa de baixo custo para o tratamento de esgoto gerado no interior do município, sendo considerado de extrema importância para a saúde dos moradores e para a sustentabilidade. Para o presidente do Samae, Ademir Izidoro, o projeto irá ajudar o município a chegar aos 100% de tratamento de esgoto. Hoje, a taxa já está próxima aos 85%. “Para que isso aconteça, temos que atender o interior da cidade, onde as instalações acabam sendo mais caras”, revela Izidoro. Segundo Peach, inicialmente o projeto visava apenas moradias acima da captação de água do Samae, mas, perante a verba disponível, será possível expandir para outras áreas de Jaraguá. O secretário pontua que existem 1.200 residências rurais na cidade. Elas devem ser atendidas gradualmente até o fim da gestão. “Além de melhorar a questão do saneamento, estaremos protegendo os lençóis freáticos e facilitando o tratamento de água para o Samae, já que ela terá menos turbidez”, garante Peach. A administração municipal contou com o auxílio do secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Carlos Chiodini, para a liberação de recursos. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jaraguá, Edgar Hornburg, agradece o reconhecimento das autoridades diante da relevância do agricultor para o desenvolvimento da cidade.
Jean Priebe: gerações de espera por uma solução correta | Foto Eduardo Montecino/OCP
Agricultor residindo no bairro Garibaldi, Jean Carlos Pribe está entre os cadastrados para receber o kit. “Cinco gerações da minha família já moraram naquele terreno. Esperamos há muitos anos pelo tratamento de esgoto para conseguir dar o destino correto aos dejetos”, ressalta o produtor. Para se cadastrar no projeto, os agricultores devem entrar em contato com a secretaria de Desenvolvimento Rural.