Circula em grupos de WhatsApp, um vídeo de um homem dizendo que abasteceu R$ 150 de etanol e, ao notar a cobrança do imposto federal de R$ 37,50, reclamou com o gerente do estabelecimento, afirmando que a medida era ilegal.

O posto de gasolina, ao perceber o suposto "erro", o reembolsou com o valor. No entanto, trata-se de uma informação falsa.

Segundo o coordenador do Procon de Criciúma, Gustavo Colle, o Governo Federal, por meio de decreto, não zerou os impostos de etanol e gasolina.

"A medida anulou apenas as tarifas do imposto federal do óleo diesel até final de abril e do gás de cozinha até 13 quilos permanentemente. Muitas pessoas estão usando isso como se fosse para combustíveis em geral, mas não é", explicou.

Ele também orienta à população a como conferir se as empresas estão ou não comprando as tarifas do óleo diesel e do gás de cozinha.

"É só verificar no rodapé do cupom fiscal a carga tributária, o imposto federal e o estadual. No gás de cozinha, como a maioria é vendido por meio de microempresas, que não são obrigados a disponibilizar o cupom fiscal, é só solicitar qual valor está sendo tributado".

Confira a nota técnica do órgão